Estatísticas · História do Basquetebol · Mundial Masculino · Todos os posts

O Brasil no Mundial Masculino: dados atualizados

Neste artigo serão apresentados dados da participação do Brasil nos Campeonatos Mundiais Masculinos. Lembrando que nosso país, juntamente com os Estados Unidos é o único a participar das 16 edições.

Nelas o Brasil obteve dois títulos (1959 e 1963), dois vices (1954 e 1970) e dois terceiros lugares (1967 e 1978). A pior participação ocorreu em 2006, no Japão, quanto ficamos em um triste 17o. lugar.

Nessas 16 edições do Campeonato Mundial, o Brasil enfrentou 39 equipes: Alemanha, Angola, Argentina, Austrália, Bulgária, Costa do Marfim, Canadá, Chile, China, Coreia, Croácia, Cuba, Egito, Eslovênia, Espanha, Estados Unidos, Filipinas, Formosa, França, Grécia, Israel, Itália, Iugoslávia, Irã, Líbano, Lituânia, México, Porto Rico, Panamá, Paraguay, Peru, Polônia, Qatar, Rep. Centro Africana, Rússia, Tchecoslováquia, Tunísia, Turquia e Uruguay.

Nosso aproveitamento é de 59% : 75 vitórias e 52 derrotas.

No confronto continental o Brasil enfrentou países da África por 6 vezes (5v-1d); das Américas por 46 vezes (30v-16d); da Ásia por 15 vezes (14v-1d); da Europa por 53 vezes (24v-29d) e da Oceania por 7 vezes (2v-5d).  Israel é aqui considerado como país europeu, pois é naquele continente que disputa a vaga para os mundiais.

Nossos adversários mais frequentes são: Estados Unidos (12j – 5v – 7d), Rússia (10j – 2v – 8d), Iugoslávia (8j – 1v – 7d) e Porto Rico (8j – 7v – 1d).

Nossos carrascos: Rússia (8 derrotas), Estados Unidos e Iugoslávia (7 derrotas) e Espanha (6 derrotas).

Nossos fregueses: Porto Rico (7 v – 1 derrota), Itália (6v – 0d) e Canadá (5v – 0d).

Com quem jogamos somente uma vez: Bulgária (v), Costa do Marfim (v), Chile (d), Egito (v), Eslovênia (d), Irã (v), Líbano (v), Peru (v), Qatar (v), Rep. Centro Africana (v) e Tunísia (v).

Nosso primeiro jogo foi em 1950, na Argentina, contra o Peru: 40-33. Nosso último foi contra a Argentina, em 2010, na Turquia: 89-93.

Nossas maiores vitórias em pontos absolutos: China (1978; 154-97); China (1990; 138-95) e Itália (1990; 125-109).

Nossas maiores vitórias em diferenças de pontos: China (1978; 154-97 – 57 pts), Filipinas (1978; 119-72 – 47 pts), Paraguay (1967; 85-41 – 44 pts) e China (1990; 138-95 – 43 pts).

Nossas piores derrotas em pontos absolutos: Iugoslávia (1986; 91-117), Rússia (1990; 100-110) e Rússia (1986; 101-110).

Nossas piores derrotas em diferenças de pontos: Iugoslávia (1986; 91-117 – 26 pts), Iugoslávia (1970; 55-80 – 25 pts), Iugoslávia (1974; 60-84 – 24 pts) e Estados Unidos (1998; 59-83 – 24 pts).

Número de vezes que vencemos por:

1 pt: 3;

2 a 5 pts: 16

6 a 10 pts: 10

11 a 15 pts: 12

16 a 20 pts: 16

21 a 30 pts: 9

31 a 40 pts: 4

41 a 50 pts: 3

> 50 pts: 2

Número de vezes que perdemos por:

1 pt: 4

2 a 5 pts: 18

6 a 10 pts: 11

11 a 15 pts: 5

16 a 20 pts: 6

21 a 30 pts: 7

Por 13 vezes vencemos fazendo 100 pontos ou mais e por 8 vezes perdemos sofrendo 100 pontos ou mais.

A média de pontos convertidos do Brasil é de 80,9 por jogo, sendo que, em 1990, na Argentina obtivemos a melhor média de pontos em todas as nossas participações: 100,3 pts por jogo.

A média de pontos sofridos é de 75,3. E também, na Argentina, tivemos nosso pior desempenho defensivo com uma média de 97,3 pts sofridos por jogo.

Jogamos cinco prorrogações. Vencemos a Itália, em 1970 (94-93) e o Panamá , em 1986 (88-85). Perdemos da Espanha, em 1974 (91-93), da Austrália, em 1982 (73-75) e da China, em 1994 (93-97).

Em 1959 nos sagramos campeões devido a uma punição à então União Soviética que se recusou a enfrentar Formosa. Em 1963, no Rio de Janeiro, obtivemos o bi campeonato mundial de forma invicta, vencendo: Porto Rico, Itália, Iugoslávia, França, Rússia e Estados Unidos.

A última vez que estivemos no pódio foi em 1978, nas Filipinas, quando obtivemos a medalha de bronze ao vencer a Itália com uma espetacular cesta de Marcel meio da quadra, com o cronômetro zerado.

Anúncios