Artigos

Lesões no basquetebol

Amigos do basquetebol

O tema “lesões no esporte” é sempre muito importante pois elas são a principal causa de afastamento de atletas de suas atividades.

A lesão é um dano causado por traumatismo físico sofrido pelos tecidos do corpo.  A incidência e severidade das lesões estão diretamente relacionadas a fatores pessoais, fatores relacionados às modalidades praticadas e aos seus respectivos fatores ambientais.

Essas lesões supõem uma disfunção do organismo que produz dor, restringe as possibilidades de funcionamento e pode aumentar o risco de disfunções maiores. Além disso,  provocam a interrupção ou limitação da atividade esportiva durante algum tempo ou até permanente e também de atividades não esportivas como, por exemplo: atividades escolares para quem não é profissional ou outras atividades que, devido à lesão, não poderão realizá-las de nenhuma forma, ou da mesma maneira que antes.

As lesões implicam, em geral, em mudanças na vida pessoal e familiar como conseqüência as restrições que as mesmas impõem sobre a pessoa.  Sua reabilitação requer tempo, esforço, dedicação e, em algumas ocasiões, resistência a dor e também a frustração. Geralmente são acompanhadas por experiências psicológicas que afetam o bem-estar da pessoa lesionada e de todos que estão a sua volta.

As lesões no esporte podem ser causadas por

  1. Contato ou impacto: nas modalidades esportivas coletivas são provenientes do contato físico entre os atletas e o impacto no solo (saltos, deslocamentos)
  2. Sobrecarga dinâmica: proveniente da carga de treinamento a qual os atletas são submetidos constantemente
  3. Uso excessivo (overuse): excesso de treinamento ou de competições, sem períodos de recuperação
  4. Vulnerabilidade estrutural: proveniente da própria estrutura genética do indivíduo
  5. Inflexibilidade: proveniente da falta de mobilidade articular
  6. Desequilíbrio muscular: proveniente do desequilíbrio entre treinamento de força e alongamento
  7. Crescimento rápido: proveniente da falta de adaptação do organismo em relação ao crescimento. Muito comum em atletas adolescentes

As lesões podem ser classificadas como:

Lesões crônicas

Decorrem do excesso de treinamento, cargas repetidas, técnica errada ou, ainda, podem ser resultantes de outras lesões não curadas totalmente, gerando sobrecarga das articulações e de grupos musculares envolvidos.

Lesões agudas

Podem ser resultado de um único trauma, ou de degenerações teciduais promovidas pelas lesões crônicas (que permitem maior susceptibilidade à uma lesão aguda).

Lesões no basquetebol

O basquetebol tem como uma de suas características, a grande exigência muscular que é empregada nos membros inferiores, devido a uma sucessão de esforços intensos e breves, realizados em ritmos diferentes, através de um conjunto de constantes lançamentos, saltos (verticais e horizontais) e corridas, além do fato de que todas estas ações podem ocorrer em curto espaço físico e de tempo. Outra característica importante do basquetebol é a variabilidade de ritmo e intensidade na execução das ações. Apesar de não ser considerado um esporte violento, as dimensões exíguas da quadra e o número de jogadores em disputa, movimentando-se velozmente, provocam freqüentes contatos corporais, o que pode causar os mais variados tipos de lesões.

Os diversos estudos sobre lesões no basquetebol apontam que joelhos e tornozelos são as partes do corpo mais afetadas com a predominância de entorses e rompimento de ligamentos. Essas lesões decorrem, principalmente, do contato entre os atletas, das aterrissagens dos saltos em rebotes e arremessos e das mudanças bruscas de direção e giros. As lesões musculares também podem aparecer, mas com menor frequênca.

Em estudo realizado com atletas de basquetebol brasileiros, De Rose e col (2006) obtiveram os seguintes resultados:

  • 344 atletas entre 14 e 35 anos; 174 homens e 170 mulheres
  • 269 atletas (78%) relataram ter tido algum tipo de lesão – 137 homens e 132 mulheres
  • Dos lesionados, 80% tiveram lesões nos membros inferiores, sendo 150 (55%) nos  tornozelos , com predominância de entorses 95 (35%) nos joelhos, com predominância de entorses e rompimento de ligamento cruzado.

Lesões nos membros superiores, principalmente luxações nos dedos das mãose lesões na cabeça (nariz) também ocorrem com certa frequência.

Um fator importante para a prevenção de lesões no esporte é a elaboração adequada do treinamento. Esse treinamento deve integrar de forma adequada a preparação física, técnica e tática, apresentando os cuidados necessários com as sobrecargas e intervalos de recuperaçã. Não respeitar os conceitos básicos do treinamento esportivo e a condição individual, proporcionando os intervalos necessários para a recuperação das fontes energéticas podem levar à fadiga muscular e esta induzir a uma queda de rendimento e até uma lesão.

Em relação às crianças os cuidados devem ser ainda maiores para que não se comprometa a estrutura física e psicológica do jovem atleta que pode ainda não estar devidamente desenvolvido para receber determinadas cargas de trabalho e cobranças quanto ao seu desempenho.

Outro fato hoje muito difundido é o trabalho de propriocepção, muito difundido nos meios esportivos.

Não podemos esquecer que o ambiente de treinamento e competição também pode evitar inúmeras lesões. Manter as quadras em boas condições é obrigação das instituições no sentido de preservar a saúde e bem estar dos atletas e praticantes.

Cena que queremos e podemos evitar

Obs: Este texto foi compliado dos seguintes artigos e capítulos de livros

Formigoni, A. Principais lesões e como prevení-las no basquetebol feminino. In: De Rose Jr., D. & Tricoli, V., Basquetebol: uma visão integrada entre ciência e prática. Manole: Barueri, 2005, cap. 6.

Tadiello, F.F. & De Rose, G. Epidemiologia das lesões nas modalidades esportiva coletivas. In: De Rose Jr., D., Modalidades esportivas coletivas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006, cap. 7.

De Rose, G.; Tadiello, F.F. & De Rose Jr., D. Lesões esportivas: um estudo com atletas do basquetebol brasileiro. Lecturas en Educación Física y Deportes – Revista Digital (www.efdeportes.com). Buenos Aires – Año 10, n 94, marzo de 2006

Anúncios