Mestres do Basquetebol · Todos os posts

Sábias palavras de um mestre

Faça o melhor que puder

Um técnico deve sempre fazer o seu melhor, nada mais do que isto, mas ele deve fazer isto não somente para si próprio, mas para aqueles que o empregam e para os jovens que estão sob sua responsabilidade. Se você, verdadeiramente fizer o seu melhor, e só você realmente saberá disto, então você terá alcançado o sucesso e o real resultado independerá se o escore for favorável ou não. Contudo, se você não deu o seu melhor, você fracassou independentemente do resultado final.

Isto não significa que você não deva trabalhar para ganhar. Você deve ensinar seus jogadores a jogar para vencer e fazer tudo que for possível dentro da ética e da honestidade para vencer. Eu realmente não quero atletas que não tenham o desejo de vencer e não joguem duro e agressivamente para alcançar seus objetivos. Contudo, eu quero ser capaz de sentir e quero que meus jogadores sintam que fazendo o melhor que for possível isto por si só significa uma vitória. Menos do que isto é uma derrota.

Portanto, tudo que exijo de meus jogadores nos treinamentos e jogos é que eles dêem o máximo e façam o melhor que puderem. Eles devem estar prontos a se tornarem o melhor que sua capacidade permitir. Eu lhes digo que, apesar de querer que eles apreciem a vitória e seu próprio desempenho, eu quero que eles tenham a satisfação de saber que tanto eles quanto a equipe fizeram o melhor que puderam. Eu espero que suas ações ou condutas após um jogo não dependam da vitória ou da derrota. As cabeças deverão estar sempre erguidas quando você fizer o seu máximo independentemente do resultado e não deve haver razão para júbilo exagerado na vitória ou tristeza excessiva na derrota.

Estou plenamente convencido que aquele que tem a auto-satisfação de saber que fez o seu melhor também estará muito além do que sua habilidade natural possa indicar.

O técnico como Professor

Na medida em que a mais importante responsabilidade de um técnico seja ensinar seus jogadores a executar de forma mais efetiva os fundamentos do jogo, ele é antes de tudo um professor.

De fato, como professor de qualquer matéria, ele deve seguir as leis do ensino para ensinar os fundamentos do basquetebol. Um fundamento deve ser explicado e demonstrado, a correta demonstração deve ser executada pelos atletas, sua execução deve ser criticada de forma construtiva e corrigida e os jogadores deverão repetir essa execução dentro do modelo proposto para que os hábitos sejam corretamente adquiridos até o ponto dos atletas agirem instintivamente da maneira certa.

Se o técnico for, antes de tudo, um professor, as idéias a seguir devem ser aplicadas: o técnico deve estar sempre presente, observar (diagnosticar) e corrigir. Ele deve estar procurando constantemente uma maneira de melhorar a si próprio para poder melhorar os outros e ajudar as pessoas que o procuram.

Dez critérios que podem ser aplicados a um professor/técnico de basquetebol:

1 – Conhecer sua matéria (basquetebol)

2 – Ter conhecimento geral sobre outros assuntos

3 – Saber ensinar as habilidades do jogo

4 – Ter atitude profissional

5 – Ter disciplina

6 – Saber organizar as aulas (treinos)

7 – Ter boas relações com seus alunos (atletas)

8 – Ter boas relações com a instituição e com a comunidade

9 – Ser gentil e ter consideração pelos outros

10 – Ter o desejo de melhorar

O técnico como Líder

O técnico deve se lembrar que ele é um líder e não meramente uma pessoa com autoridade. Os jovens sob sua supervisão devem receber desse líder uma orientação apropriada em todos os aspectos e não só no que diz respeito ao basquetebol.

Além de seus pais, os jovens passam mais tempo e são mais influenciados pelos professores do que quaisquer outras pessoas. E o técnico é o professor que terá maior influência na vida desses jovens. Portanto, não se trata somente de trabalho, mas é obrigação que o técnico tome essa responsabilidade com muita seriedade.

Um técnico que faz um esforço determinado  e sincero para seguir os princípios de liderança pode estar certo de que estará melhorando suas qualidades de líder e aumentando as possibilidades de sucesso da equipe.

Uma equipe sem líder é o mesmo que um navio sem leme. Certamente ele navegará em círculos e não chegará a lugar nenhum.

Este texto foi traduzido e adaptado do texto original de autoria de John Wooden em seu livro Practical Modern Basketball (Ronad Press, 1966, p. 4-6)

Anúncios