Entrevistas · Todos os posts

Kátia de Araújo fala do Projeto “Virando o Jogo Sampa”

Amigos do Basquetebol

Recentemente tive a oportunidade de conhecer um dos mais belos projetos que é desenvolvido em nossa cidade: “Virando o Jogo Sampa”.

É um programa de esporte, lazer e recreação, desenvolvido pela Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação da Cidade de São Paulo. Tem o apoio da Secretaria de Segurança Urbana/ Guarda Civil Metropolitana – GCM e parceria da Suprefeitura local, responsável pela zeladoria e manutenção dos espaços físicos. É destinado a crianças e adolescentes de 3 a 17 anos de idade, que utiliza o Basquetebol, Hip-Hop, Skate, Patins, Arte e oficina de motricidade (desenvolvimento das habilidades básicas e coordenativas), como instrumentos de inclusão e transformação social, buscando desenvolvimento integral do indivíduo e sua formação educacional.

Atualmente o projeto é desenvolvido em dois polos: Águas Espraiadas (Av. Roberto Marinho) e Luz (na praça em frente ao Colégio Sagrado Coração de Jesus) e futuramente será expandido para outros pontos da cidade.

A Coordenadora do projeto é a profa. Kátia de Araújo que é treinadora de basquetebol e trabalha com a formação de atletas, principalmente no feminino. Por suas mãos passaram atletas que hoje integram as seleções brasileiras como Tássia, Tatiane e Patrícia. Kátia foi eleita por três anos consecutivos como a melhor técnica pela Federação Paulista de Basketball (2003/ 2004/2005). Em 2007 foi nomeada para o cargo efetivo/concursado da Secretaria Municipal de Esportes de São Paulo, o que a fez deixar o basquetebol de Americana. Em 2011, depois de estabilizada e com vários projetos sociais com impacto na sociedade, montou a equipe mini feminino no C.A Juventus e se dedica de corpo e alma ao referido projeto.

Como surgiu a ideia do projeto?

Como eu tinha como meta desde 2007, de um dia implantar atividades de esporte e lazer no Centro Comunitário Águas Espraiadas, que fica próximo da minha casa e que se encontrava ocioso e com o entorno cheio de crianças e adolescentes nas ruas e faróis e em situação de vulnerabilidade e risco social, apresentei o projeto na SEME. Além de aprovarem o projeto, fui solicitada a detectar outros locais com o mesmo perfil para que ele pudesse ser ampliado.

Fui atrás de um nome próprio para implantação e ampliação na cidade de São Paulo, que resumisse o nosso principal objetivo que era a  transformação social, por isso o nome Virando o Jogo Sampa.

O Virando O Jogo Sampa é uma reformulação de um projeto desenvolvido por voluntários da Vila Guarani, com atividades de cultura de rua (Basquetebol, Skate, Patins, Arte, Oficina de Motricidade), o que nos aproximava do público alvo. A ideia era implantá-lo em espaços públicos ociosos, com grande índice de vulnerabilidade e risco social e destinado ao atendimento de um público que não tem acesso ao esporte e lazer próximo de sua moradia.

“Virando o Jogo Sampa”  tem como objetivos: garantir o acesso ao esporte e lazer como um poderoso instrumento de inclusão e transformação social; proporcionar o desenvolvimento integral do indivíduo e sua formação educacional, favorecer a inserção na sociedade e a ampliar as possibilidades futuras.

 Qual o perfil das crianças que participam do projeto?

São crianças e adolescentes, de ambos os sexos, de 03 a 17 anos, que residam ou circulam pelos espaços públicos, em situação de vulnerabilidade e risco social e moradores de entorno.

Que dificuldades vocês encontram para trazer e manter essas crianças no projeto?

São muitas as dificuldades. Inicialmente, é fazer com que as comunidades se apropriem das atividades e dos espaços, e entendam que o espaço público não pertence a nenhuma comunidade específica. Outro problema é a rotatividade do público, pois muitos não possuem moradia fixa.

Os pais incentivam muito pouco e não participam das atividades e muitas crianças têm as mesmas responsabilidades de um adulto, pois muitas têm que cuidar dos irmãos mais novos e até contribuir para a renda familiar, pedindo esmolas em semáforos.

Quais os próximos passos?

Já implantamos o Virando O Jogo Sampa em dois locais: Centro Comunitário Águas Espraiadas e Largo Coração de Jesus – Luz e até Junho de 2012, implantaremos em mais  cinco locais. No próximo dia 03 de Março iremos implantar na Praça Mendes de Sá – Glicério.

O que se espera dos professores que ministram as atividades no projeto?

As modalidades implantadas servem de instrumentos para que façamos a nossa parte para aquela comunidade. Além de ensinar os aspectos técnicos das modalidades, os profissionais passam a ser a referência e exemplo para os participantes do programa. Numa relação de confiança adquirida no dia a dia, eles têm o poder de transformá-los, de torná-los cada dia melhores, de reforçar e desenvolver valores morais e éticos.

Isto acontece sem imposições, pela própria dinâmica das aulas e atividades. Assim contribuem para o exercício de cidadania e para um mundo melhor, além de revelar talentos para a modalidade e encaminhá-los para clubes que ofereçam um mínimo de estrutura para mantê-lo e continuidade de um trabalho efetivo.

Fale um pouco do acompanhamento escolar, o papel  da conselheira tutelar e o que é oferecido às crianças.

 

Depois da apropriação do espaço e das atividades pelos participantes, detectamos aqueles que não estão freqüentando o ensino formal, porque passam o dia inteiro no Virando O Jogo, aqueles que não possuem documentos, que sofrem maus tratos, violência, abandono, abusos. Então entramos em contato com o conselho tutelar  para zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e adolescente previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente.

O projeto prevê materiais para cada modalidade, equipamento de proteção para os esportes radicais (patins e skate) e Kit lanche para final de período, primordial, já que muitos dos participantes vão para as atividades sem se alimentar.

Algo que você queira ressaltar e que ache importante

As atividades do Virando O Jogo Sampa acontecem de segunda a segunda feira das 9h às 16h. As crianças recebem um lanche em cada período.

Para finalizar deixo uma frase do grande professor e pedagogo do esporte, Jorge Olímpio Bento (Universidade do Porto): “Dentro de cada criança há um esboço e projeto de vida e de homem a espera de serem revelados e realizados.  Nem todos podem ser campeões, mas todos podem dar o melhor de si mesmo para cumprir o sonho e a história de felicidade que intimamente os habitam. Todos podem alargar e trocar os limites e constrangimentos interiores pela visão e grandeza dos horizontes exteriores“ .

O Basquetebol no “Virando o Jogo Luz”

Patins no “Virando o Jogo Águas Espraiadas”

Anúncios

10 comentários em “Kátia de Araújo fala do Projeto “Virando o Jogo Sampa”

  1. Caro Dante esta idéia da Kátia e importantissima para dar caminho do bem para a garotada que não tem sustentáculo familiar, que é a base da pirâmide, oferecer lanches para as crianças é um dos lados mais importante do projeto. Os professores de Ed. Física terão melhor condição de trabalho com uma criança com sua fome saciada, espero que nossos politicos mantenham o projeto e ele não caia no esquecimento como aconteceu com a campanha “Adote um atleta” do Caio Pompeo de Toledo que revelou e manteve atletas como Hortencia, Cadu, e dezenas de outros com patrocinios
    Parabéns a Kátia
    Carlão

  2. Parabens Prof°. Katia não podemops mudar o mundo, mas podemos ajudar melhorar a onde vivemos.

    Prof Moises/tecnico de Anapolis GO
    basquete

  3. Parabéns Kátia, você sempre foi persistente e muito dedicada.
    E ao observar o sucesso daqueles que passaram por nossos ensinamentos, percebemos que foi ele mesmo um tijolo nesta construção, e aí está a melhor recompensa de um educador.
    Professora Ray.

  4. Parabéns pelo trabalho!
    Alguns serão campeões das quadras, mas muitos serão campeões da vida e isso não tem preço. Deus a abençoe.
    Rita de Cássia

    1. MARIANO, MEU AMIGO WILSON É O COORDENADOR NESSE PROJETO, “PÓLO AGUAS ESPRAIADAS”, PEGA O ENDEREÇO E VAI TENTAR FALAR COM ELE, SERIA UMA OPÇÃO DE TRABALHO MUITO LEGAL PARA VC. ERA P´RA ELE QUE ESTAVA ENVIANDO SEU CONTATO.

  5. Parabens prof. Katia, muito interessante o Projeto Virando o Jogo para reforçar a rede de proteção social para crianças e adolescentes.

    Gostaria de, se possível, receber mais informações sobre o projeto, como metodologia, espaço físico, equipamentos, recursos humanos e financeiros envolvidos.
    Desde já, muito agradecido.

    Luiz Carlos Orro – Secretário Municipal de Esporte e Lazer de Goiânia

  6. Regina Helena Conceição
    Parabéns Katia pela iniciativa e pela coragem.
    Que outros possam segui-la com esta atitude.

  7. KATIA, O ESPORTE AGRADECE SUA PRESENÇA E DEDICAÇÃO SEMPRE, E O BASQUETE LHE AGUARDA COM SAUDADE!!!!!

    PARABÉNS

    ELISABETE FERRACIOLLI – PROFESSORA DE BASQUETE CÍRCULO MILITAR.

Os comentários estão fechados.