Estatísticas · NBB · Todos os posts

Índices de Eficiência no Basquetebol 3: o fator mando de jogo

Neste post discutiremos a relação do índice de eficiência com o fator “mando de jogo”, utilizando os dados da recém-finalizada fase de classificação do NBB.

Muitos trabalhos apontam que os times mandantes vencem, aproximadamente, 60% de seus jogos em diferentes torneios de basquetebol.

Em 2002 foi publicado um trabalho com base no estudo realizado * no Campeonato Paulista de Basquetebol Masculino de 2001 e que reuniu 15 equipes em 210 jogos.

Naquele campeonato, os “mandantes” venceram 130 partidas (62%). Nessas partidas, os “mandantes” tiveram média de 93,6 pts a favor e 80,0 pts contra (diferença média = 13,6 pts), enquanto que os visitantes, em suas vitórias, obtiveram média de 91,0 pts a favor e 79,5 pts contra (diferença média de 11,5 pts).

Nesse estudo também foi constatado que os “mandantes” predominavam em todos os indicadores de jogo, exceto em lances-livres tentados e convertidos. Não houve nesse estudo a análise dos índices de eficiência, já que, naquela época esse era um dado que não estava disponível nas estatísticas oficiais.

Outro dado interessante daquele campeonato é que nos jogos com diferença de até 3 pts não havia predominância do fator “mando de jogo”, pois mandantes e visitantes venceram 18 partidas cada um. As discrepâncias começavam a aparecer nos jogos com diferenças de 4 a 10 pts (49 vitórias para os mandantes e 23 para os visitantes), de 11 a 20 pts (37×25) e acima de 20 pts (27×14).

Utilizando os dados do NBB, em sua fase de classificação, na qual todas as equipes se enfrentaram em turno e returno alguns dados foram observados e que, de certa forma, corroboram com os resultados obtidos no estudo de 2001.

Nos 210 jogos realizados nessa fase do NBB, os mandantes venceram 134 jogos (63,8%). Utilizando-se a mesma metodologia do trabalho já citado, nos jogos com diferença de até 3 pontos houve um equilíbrio de vitórias (mandantes 18, visitantes 16). Nos jogos com diferenças de 4 a 10 pontos, os mandantes venceram 39 jogos e os visitantes 29. Nas partidas cujas diferenças ficaram entre 11 e 20 pontos os mandantes predominaram com 55 vitórias contra 19 dos visitantes. E nos jogos com diferenças acima de 20 pontos foram 22 vitórias dos mandantes contra 12 dos visitantes.

A média de pontos dos mandantes nas vitórias foi de 87,7 x 74,4 (diferença média de 13,3 pts). Já a média dos visitantes nas vitórias foi de 86,6 x 75,0 (diferença média de 11,6 pts).

Índice de eficiência (EF)

Utilizando os dados dos índices de eficiência que, atualmente, são bastante difundidos nas estatísticas, observou-se que os mandantes tiveram um EF médio de 93,8 contra 82,0 dos visitantes. Quando vencedores, os mandantes tiveram um EF médio igual a 103,0 contra 73,7 dos visitantes. Estes, quando vencedores tiveram um EF médio igual a 100,0 contra 75,9 dos mandantes.

Abaixo são demonstrados os índices de eficiência (a favor e contra) de mandantes e visitantes vitoriosos (MV; VV) em cada uma das categorias definidas a partir das diferenças no resultado final das partidas (A = até 3 pts; B = de 4 a 10 pts; C = de 11 a 20 pts e D = > que 20 pts). Ressaltando que esta divisão é arbitrária e segue a metodologia utilizada em outros trabalhos semelhantes. Ela pode ser modificada dependendo dos critérios utilizados para a categorização.

A:

MV – 87,2 x 83,0

VV – 91,5 x 90,2

B:

MV – 98,9 x 81,5

VV – 94,8 x 79,1

C:

MV – 104,1 x 72,7

VV – 101,6 x 70,1

D:

MV – 120,5 x 56,0

VV – 123,9 x 58,5

Esses dados podem servir como parâmetro para análises sobre o comportamento técnico e tático das equipes em função do mando de jogo, mas também devem ser entendidos como mais um dos subsídios possíveis para auxiliar na obtenção de melhores resultados.

* Análise estatística de jogos de basquetebol: o fator “mando de jogo”. www.efdeportes.com Revista Digital – Buenos Aires, Año 8, no. 54, noviembre de 2002

 

Anúncios