Jogos Olímpicos · Todos os posts

Jogos Olímpicos de Londres: o mundo globalizado

Amigos do Basquetebol

Assim como fiz em 6/10/10 quando escrevi o post “Mundial Masculino: o mundo globalizado (http://bit.ly/NOdMA7)” vou repetir a dose enfocando o tema nos Jogos Olímpicos.

No Mundial realizado na Turquia tivemos a participação de 288 atletas de 24 países. Cerca de 59,8% (171) atuavam em seus países de origem. Na NBA e na ACB atuavam 48 atletas (24 em cada), mostrando a força da globalização do basquetebol. Outros países abrigavam “estrangeiros” como a Turquia, Grécia, Itália, França, Rússia e Lituânia.

Nos Jogos Olímpicos de Londres este quadro pouco mudou, mesmo sem a presença de equipes que estiveram no Mundial como a Alemanha, Grécia, Sérvia, Croácia, Porto Rico, Canadá, Eslovênia e Turquia, entre outras.

  • Dos 144 atletas, dos doze países participantes na competição masculina, 76 (52,8%) atuam em seus países de origem.
  • A NBA e a ACB (Liga Endesa) continuam sendo a “segunda” casa de muitos atletas estrangeiros (22 e 19, respectivamente – os americanos não estão nesta conta, pois os considerei como atuantes em seu país de origem)
  • Outros países que têm atletas olímpicos participando de seus campeonatos nacionais são: Grécia (4), Itália, Rússia, EUA – NCAA (3 cada), Alemanha e França (2 cada) e China, Israel, Porto Rico, Portugal, R.Tcheca, Bélgica, Turquia e Chipre (1 cada).
  • A Rússia e os Estados Unidos são os únicos países nos quais os 12 atletas disputam os campeonatos locais (no caso dos Estados Unidos, a NBA). A Tunísia e a China terão11 atletas que atuam em seu próprio país, enquanto que a Espanha terá 8 atletas atuantes na ACB
  • A Nigéria é o único país sem nenhum atleta atuando em seu próprio país e também o mais globalizado. Seus atletas atuam em 11 países diferentes. A Grã-Bretanha é o segundo, com seus atletas atuando em sete diferentes países. A Austrália vem a seguir com atletas atuando em seis países diferentes.
  • A França tem somente um atleta atuando em seu campeonato nacional e é o país com o maior número de jogadores de NBA (5). Brasil e Espanha têm 4 jogadores atuando na NBA, Argentina 3, Lituânia 2, Austrália, China, Grã Bretanha e Nigéria um cada
  • O Brasil tem 6 atletas que atuam no NBB, 4 na NBA e 2 na ACB

Em menor escala, a globalização também está presente entre os treinadores. Seis países têm treinadores “importados”: Brasil (treinador Argentino), Austrália, China, Rússia e Grã Bretanha (treinadores norte-americanos) e Espanha (treinador Italiano). Estados Unidos, França, Lituânia, Nigéria, Tunísia e Argentina são dirigidos por treinadores locais. Os treinadores norte-americanos são a maioria nos Jogos Olímpicos (5), seguidos pelos argentinos (2).

Essa diversidade faz do basquetebol um dos esportes mais atrativos do mundo, onde, com poucas exceções, há muitas equipes em condições de apresentar um nível muito alto de competitividade.

Anúncios