Jogos Olímpicos · Opinião do autor · Todos os posts

Brasil vai se complicando no feminino. França é o destaque

O Brasil perdeu para a Rússia na segunda rodada do basquetebol feminino nos jogos Olímpicos de Londres e vai se complicando na classificação. Nosso próximo jogo será contra a Austrália e uma vitória é quase obrigatória para que tenhamos chances de classificação sem depender de outros resultados.

Com os resultados das duas primeiras rodadas temos a Rússia e a França com duas vitórias, Canadá e Austrália com uma vitória e uma derrota e Brasil eGrã-Bretanha com duas derrotas.

Hoje o Brasil enfrentou a Rússia e foi derrotado por 69×59 (31×26). O jogo foi equilibrado até o meio do terceiro quarto quando o Brasil conseguiu a vantagem. Mas logo a Rússia tomou conta do jogo muito em função dos erros das brasileiras e de sua nítida vantagem no garrafão de nossa seleção que conta somente com a Érika para enfrentar as jogadoras de maior estatura.

A falta de, pelo menos, mais uma jogadora que possa exercer a função 5 expõe demais nossa pivô (que foi eliminada com cinco faltas no final do 4o quarto). Nádia, sua substituta, não possui a mesma experiência e nem tampouco vigor físico para suportar um confronto direto com jogadoras da estatura elevada como as russas. Apesar do esforço de Clarissa e até mesmo Damires, a seleção brasileira se ressente de alguém para dividir essa função com a Érika que foi o destaque da partida com 15 pts e 18 rebotes.

Nossa derrota também aconteceu pela baixo aproveitamento dos arremessos de quadra (38,7% no total) e pelo número exagerado de bolas perdidas (19, enquanto as Russas tiveram 13). Nas Nas bolas recuperadas, as Russas tiveram grande vantagem (10×4).

Mas o destaque da rodada ficou para o jogo França x Austrália, decidido comente na prorrogação em favor das francesas (74 x 70; 65 x 65), depois destas terem duas oportunidades de fechar o jogo no tempo normal (uma bandeja perdida com 5 segundos para o final e 2 lances-livres perdidos faltando 3 segundos para o final do tempo regulamentar). Depois desses lances-livres perdidos, a jogadora Lawson-Wade, da Austrália, acertou um fantástico arremesso do meio da quadra levando o jogo para a prorrogação.

Como foi comentado por especialistas em um post anterior, este time francês poderá surpreender nos Jogos Olímpicos devido à qualidade de suas atletas e o bom nível de seu jogo coletivo.

Anúncios

Um comentário em “Brasil vai se complicando no feminino. França é o destaque

  1. Assiti o jogo femonino entre o Brasil X Rússia, pela ESPN, ao vivo, e depois o vídeo. Faltou pivot para dominar a tabela brasileira. A Érika defensivamente foi regular, mas ofensivamente deixou muito a desejar. O Brasil ofensivamente não apresentou jogadas que definisssem com um conjunto consistente.Sem comentar as outras pivots brasileiras, necessitamos , no mínimo, de tres pivots eficientes.Não há seleção ou time de basquete que segure resultados positivos sem dominio ofensivo e defensivo da tabela. Perdoem-me a franquesa., porém é crítica para melhorar o padrão do basquete brasileiro.

Os comentários estão fechados.