Jogos Olímpicos · Todos os posts

Brasil vence Espanha e um retrato das quartas de finais

Amigos do basquetebol

O Brasil venceu a Espanha (86 x 82), ficou com o segundo lugar do grupo B e vai enfrentar a Argentina nas quartas de finais (veja texto mais abaixo). Independentemente da polêmica sobre a possível entrega da Espanha para não cruzar com os EUA nas semis (esqueceram que antes há uma disputa de quartas de finais?), o Brasil fez sua parte.

Jogou com vontade e mesmo sem Nenê (poupado por conta de uma fascite plantar) conseguiu realizar uma boa partida, especialmente no último quarto. O Brasil enfrentou dificuldades em conter o forte jogo interno da Espanha (Paul e Marc Gasol e Ibaka juntos fizeram 54 pontos) mas as boas atuações de Leandrinho (23 p), Marquinhos (14 p), Raul (6p e 4 ass), Varejão (7 reb) e a participação ativa de todos os atletas que entraram no decorrer do jogo mostraram o quanto esta equipe pode ainda realizar.

Agora que venha a Argentina. Depois é que vamos pensar nas semis (caso vençamos nosso eterno rival). Se a Espanha entregou o problema é deles. Se eles acham que irão direto para as semis e não enfrentar os Estados Unidos, o problema continua sendo deles.

O importante é que estamos nos igualando aos melhores do mundo. Podemos até perder da Argentina (resultado muito possível) mas mostramos que o Brasil está de volta ao cenário mundial. Se vencermos voltaremos a disputar uma semifinal olímpica, fato que não acontecia desde 1968. E aí tudo poderá acontecer. E mesmo que a medalha não venha podemos nos considerar muito felizes pelo que esta seleção mostrou. Vontade, seriedade, comprometimento e qualidade.

Além de Brasil e Argentina, as quartas de finais terão os seguintes jogos (dia 8):

10:00  – (Brasília): Rússia x Lituânia

12:15 –  França x Espanha

16:00 – Brasil x Argentina

18:15 – Estados Unidos x Austrália

Verifiquem as comparações entre as equipes (pontos a favor, pontos contra, % de 3; % de 2: % de l.livres; rebotes, assistências: bolas recuperadas e bolas perdidas)

Rússia x Lituânia (80,0 x 79,0;   71,8 x 79,8;   34,8% x 35,7%;   57,0% x 53,5%;   67,7% x 81,1%;   35,8 x 37,  2; 21,0 x 18,8;   6,8 x 4,4;   14,4 x 16,8)

França x Espanha (75,2 x 82,8;   75,6 x 78,8;   28,3% x 34,1%;   55,8% x 52,2%;   69,6% x 72,2%;   37,4 x 41,4;   16,6 x 21,0;   6,8 x 5,2;   15,8 x 13,0)

Brasil x Argentina (80,4 x 89,6;   69,8 x 84,4;    32,3% x 37,8%;   50,8% x 55,0%;   66,3% x 74,8%;   38,0 x 34,4;   17,6 x 21,0;   7,2 x 6,8;   11,0 x 10,6)

Estados Unidos x Austrália (117m8 x 82,0;   79,6 x 74,6;   45,8% x 32,3%;   60,7% x 48,8%;   71,7% x 75,8%;   44,4 x 41,2;     27,6 x 17,4;   11,6 x 17,4;   9,4 x 12,2)

Os principais destaques de cada equipe

Cestinhas: P.Gasol (Esp – 20,6); Mills (Aus – 20.6); Scola (Arg – 20,2); Durant (EUA – 18,6); Kirilenko (Rus – 18,2); Batum (Fra – 16,8); Kleiza (Lit – 15,8) e Leandrinho (Bra – 15,0)

Reboteiros: Varejão (Bra – 7,4; Andersen (Aus – 6,6); Love (EUA – 6,4; Kyryapa e Kirilenko (Rus – 6,2); Kleiza (Lit – 6,2); P.Gasol (Esp – 6,0); Ginobili (Arg – 6,0) e Batum (Fra – 5,8)

Assistências: Huertas (Bra – 6,2); Prigioni (Arg – 6,0); Jasikevicius (Lit – 5,8); Cris Paul (Eua – 5,8); Shved (Rus – 5,4); Dellavedova (Aus – 4,6); Diaw (Fra – 4,2) e Fernandez (Esp – 3,6)

Meu palpite para as semifinais:

Rússia x França e Brasil x Estados Unidos.

Vamos torcer.

Anúncios

4 comentários em “Brasil vence Espanha e um retrato das quartas de finais

  1. Oi Dante!

    O lance livre brasileiro é o menos eficiente entre todos os 8 classificados. Foi aí que perdemos o primeiro lugar no grupo para a Rússia. Tomara que melhorem este aspecto agora no mata-mata.

    Concordo com você quanto às semifinais. Acho que a Espanha cai diante da França, e o Brasil ganha da Argentina.

    Forte abraço!
    Kiko

  2. BRASILLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

  3. Análise perfeita. O jogo com a Argentina é uma pedreira, deve ser decidido no final e nos detalhes. Será a prova de fogo para saber o o Brasil aprendeu a decidir,pois nos últimos torneios mundiais sempre pecávamos na hora H. Este time parece mais maduro e mais consciente.
    Que venha a medalha……………………

  4. Com ctz absoluta, Ruben, está preparando nossa seleção para o jogo de duplas, principalmente pq Prigione irá jogar, e o controle que ele tem da bola nos pick’s, junto a Scola é mortal, sabendo que contra a nossa seleção, essa movimentação é finalizada no poste alto,(pop out). E contra uma defesa tão bem organizada, ctz que o ataque será individualizado, forçando a rotação e desequilibrio de nossa defesa.

Os comentários estão fechados.