Jogos Olímpicos · Opinião do autor · Todos os posts

Saudade Olímpica

Amigos do Basquetebol

Fim da festa. E que festa.

Independentemente das vitórias e derrotas, das medalhas ganhas ou perdidas, foram 17 dias de pura emoção.

Uma cidade inteira focada nos Jogos Olímpicos. Uma cidade pulsando com gente de todo o mundo compartilhando sua cultura, valores e costumes. Momento de aprender e compartilhar. Conhecer o que o mundo pode oferecer.

Para mim foram somente oito dias. Mas oito dias inesquecíveis. Oito dias de intensa participação. Seja na arena do Basquetebol, seja no Parque Olímpico, seja na Vila Olímpica ou nas ruas e atrações londrinas. E que atrações. São tantas que oito dias não foram suficientes para conhecer uma grande parte delas.

Mas com certeza terei saudades. Aliás, estou com muita saudade. E sempre acompanhado do meu companheiro de viagem, o Mariano. Aluno e amigo. Agora olímpico também.

Saudade da rotina diária: levantar, café da manhã na casa da Júlia e do Ian, caminhar até a estação Walthamstow Central e pegar o underground ou o busão 97 para o Parque Olímpico.

Saudade do Mariano me alugando toda a vez que passávamos pelo Starbucks (e como tem essa praga em Londres). Tudo porque eu acho o café do Starbucks um horror.

Saudade da longa caminhada da entrada do complexo olímpico, passando pelo Westerfield (imenso shopping) até a entrada do Parque.

Saudade das conferências de ingressos, passagem pelo portal do Parque e outra longa caminhada até a Arena do Basquetebol.

Saudade da Arena. Ginásio maravilhoso onde invariavelmente encontrávamos a mesma turma de brasileiros, entre eles os pais do Huertas e do Marcelo Machado.

Saudade dos amigos que encontrei por lá: Andrioli, Fábio Aleixo, Felipe Tadiello, Peri, Paulinho Villas Boas, Ruy e Mário Brauner.

Saudade das comidinhas servidas nas barracas dentro da arena ou espalhadas por todos os setores do Parque.

Saudade das figuras e dos voluntário sempre com um sorriso no rosto e prontos para te ajudar.

Saudade dos jogos do Brasil, das “cornetadas” , da vibração nas vitórias e até daquela maldita bola de 3 que o russo acertou no último segundo.

Saudade dos amigos Corinthianos que encontrei sempre com um “Vai Corinthians” na ponta da língua.

Saudade dos passeios: Tower Bridge, Museu Britânico, Convent Garden, Borough Market, Picadilly Circus, Big Ben. Westminster, Hyde Park, Palácio de Buckingham.

Saudade dos “pubs” e principalmente das Guinnes, Carlings e Stellas.

Saudade da Lillyswhite, com muito material esportivo a preços arrasadores.

Saudade das bugigangas olímpicas e londrinas.

Saudade dos papos de fim de noite pelo Skype com a Marisa e com o Geórgios.

Saudade da Sandra Kawasaki grande amiga e companheira da abertura dos jogos de Sydney.

Saudade das conversas (também pelo skype) com a família para contar as novidades do dia  e a saudade de sentir saudades de todos eles.

Saudade de quebrar a cabeça sobre o post que iria escrever depois de um dia cansativo para poder continuar dando informações aos meus fieis seguidores (no dia 1 de agosto me proporcionaram a alegria de atingir 100.000 acessos).

E de quebra, saudade da viagem a Liverpool para conhecer o museu e templo sagrado dos Beatles, o Cavern Club.

Enfim, são saudades que só uma Olimpíada pode proporcionar.

Sou privilegiado por ter podido participar desta festa maravilhosa.

2016 está logo aí. Talvez nos vejamos por lá.

Mariano e eu na entrada do Parque Olímpico: primeiro dia
A emoção do Hino Nacional
Covent Market: comida e diversão
Uma Guinnes para celebrar. Afinal, vida de “atleta” olímpico não é fácil
Anúncios

2 comentários em “Saudade Olímpica

  1. Boa tarde!
    Sou mais um guerreiro em busca de um basquete de formaçao em nosso pais. A massificaçao do nosso esporte. Sou treinador das categorias menores na cidade de Itu. E depois de 15 anos jogando profissional, me dedico ao basquete de formaçao a 5 anos. Mas nossos dirigentes nao pensam no basquete. So pensam na politica e como vamos ganhar mais patrocinaodres. Fiz o curso de treinadores ano passado. Porem, nao vejo boa vontade em nossas entidades a melhorar….um pequeno exemplo…de varios que poderia citar aqui…por que as categorias menores ate a catogoria infanto…16 anos nao podemos fazer, para acharmos mais talentos em nosso vasto interior de sao paulo, como se pode ver em nossa seleçao adulta, a maioria formada no interior, nao faz as finas pelo menos, com as melhores oito equipes do interior contra as oito melhores da capital……e nao apenas as duas melhores do interior contra as duas melhores da capital…….esse ehh umas das perguntas………..tatica didatica..pedagogia… isso e extremamente importante…..quando sera que vamos pensar como maiores potencias do esporte, se nem se quer trabalhamos nossa base………

    Enfim..sou um educador fisico que espero um dia dizer para todos nossos futuros atletas……..como disse o Presidente da CBV..quando perguntado sobre as geraçoes do volei..e ele disse…estamos preocupados com nossa geraçao Olmpica de 2024….porque as anteriores ja estao prontas……….pode ate ser muito otimismo da parte desse Presidente……mas como eu entendo um pouco de esporte de alto rendimento….posso ate concordar com ele…..porque na pratica eles estao mostrando isso…………..

Os comentários estão fechados.