Colaboradores · Psicologia do Esporte · Todos os posts

A Relevância da Intervenção Psicológica no Esporte

Amigos do Basquetebol

Envio a todos o texto produzido pela psicóloga Silvia Regina Deschamps – Doutora em Educação Física e Esporte/USP e Psicóloga do Esporte e do Exercício e Coaching.

A Psicologia do Esporte tem buscado sua afirmação no meio esportivo, através da participação de especialistas que têm procurado diagnosticar, analisar e pesquisar aspectos psicológicos e estabelecer relações entre eles e as diferentes variáveis que podem interferir no desempenho de atletas e equipes.

É inegável que, ao longo das últimas décadas, esse trabalho tem sido reconhecido, haja vista a quantidade de publicações (em forma de livros ou artigos) produzidas em todo o mundo. No entanto, pode-se considerar que essa evolução, na quantidade e qualidade de produção na área da psicologia esportiva, ainda não é transferida adequadamente para a prática, na forma de intervenção junto a atletas, equipes, comissões técnicas e todo o contexto das atividades esportivas, principalmente no âmbito competitivo de alto nível.

Em alguns países, como Estados Unidos, Canadá, Austrália e vários da Europa, a intervenção psicológica é parte integrante do planejamento das equipes e a presença do profissional da psicologia do esporte é tão comum quanto à do técnico, assistente técnico, preparador físico e médico.

A intervenção psicológica, via de regra, não está inserida no programa de periodização do treinamento, ou seja, no planejamento em longo prazo do trabalho realizado pela maioria das comissões técnicas de equipes, normalmente, é lembrada somente em momentos de emergência ou quando o atleta apresenta um desempenho inadequado e que coloca em risco o resultado positivo de equipe.

Essa realidade e a falta de informação sobre a importância do trabalho psicológico em equipes esportivas, ainda são motivos para que haja muita resistência, por parte dos atletas e da comissão técnica com relação à inserção do trabalho psicológico. Muitas vezes, o psicólogo é visto como um concorrente – e não um aliado -, e é desconsiderado o fato do trabalho ser um instrumento auxiliar na busca de um melhor rendimento do atleta.

Cada etapa da preparação psicológica deve ser específica, considerando-se as características e demandas desse público e, também da modalidade esportiva em foco e o momento da preparação na qual se encontra a equipe. O trabalho deve possuir objetivos claros e bem definidos, sendo essas informações transmitidas aos participantes do processo, procedimento este importante para a boa aceitação do psicólogo esportivo na equipe.

Para fazer parte do ambiente da competição de alto nível, o atleta precisa ser um competidor assíduo e dedicado, e para se destacar, deve superar níveis de exigências técnicas, táticas, físicas e psicológicas, para que se possa garantir a plena realização de uma carreira esportiva. É preciso, portanto, que haja um planejamento, em longo prazo, dos treinamentos físico, técnico, tático e psicológico, para que, o desportista tenha uma boa sustentação, durante um ano inteiro de desgaste do corpo e da mente, já que o calendário de jogos e competições não é favorável. Infelizmente, alguns atletas, também, não tem consciência de que vida de atleta exige: sacrifícios, transpiração e cuidados com sua rotina alimentar, de treinos e de hábitos de vida. Acabam enveredando para um estilo de vida incompatível com o necessário, como: noitadas, drogas e alimentação não saudável.

Competições importantes como uma Copa do Mundo ou Olimpíadas, são umas panelas de pressão, exigindo do atleta que participa, habilidades psicológicas bem desenvolvidas. Em especial nas fases finais, os erros devem ser minimizados ao máximo, com um nível de eficiência elevado. Cada vez mais uma partida pode ser definida em detalhes, e o preparo psicológico é fundamental, especialmente, nas fases decisivas dos jogos. Por isso, a importância do psicólogo que vai trabalhar com uma equipe, é entender o que pode acontecer com um atleta sob pressão, já que é muito comum, ele experimentar, mesmo tendo experiência, bloqueio mental, e isso repercutir negativamente em seu desempenho. Posso garantir que o profissional de psicologia do esporte, capacitado e habilitado, pode e muito auxiliar a comissão técnica e a equipe, com um trabalho realizado anterior e durante a competição. A competição é um processo dinâmico, com mudanças no estado mental, e isso não é o problema, mas sim quando o atleta não se dá conta, a respeito, e não faz algo para mudar. O atleta que vai se sair bem numa competição de alto nível é aquele que conseguir lidar de forma eficiente e positiva com as adversidades desta.

As inúmeras pesquisas e as experiências na área têm comprovado que atletas realizadores e bem sucedidos, realmente, fazem parte de um grupo de pessoas, que possui uma mente, coração e alma diferenciados. E a sensação que experimentam quando conseguem chegar lá, no objetivo atingido, é algo muitas vezes indescritível. Com a prática é possível observar no campo, nas quadras quando o atleta está conseguindo dar o seu melhor, o seu 100%, e desse jeito é inevitável que o resultado seja a vitória! E ela se torna ainda mais especial quando esse atleta reconhece o verdadeiro valor das conquistas, que é o que está por trás delas e o que realmente dá sentido às suas realizações pessoais.

Para que um time se torne efetivamente uma equipe, é preciso que haja uma boa sintonia entre a comissão técnica e os atletas. O tipo de relação estabelecida entre a figura do técnico, incluindo seu estilo de liderança, e seus atletas será determinante para isso. O estabelecimento de objetivos coletivos comuns, aliado a um relacionamento interpessoal saudável e de confiança, será decisivo para o alcance de resultados positivos de uma verdadeira equipe.

A vida de um técnico esportivo pode ser tão ou mais estressante que a de um atleta. A pressão por resultados exercida sobre ele é grande, pois ele é o posto central da equipe. Além do mais, ele tem que conseguir trabalhar bem as relações com seus atletas, com a própria comissão técnica e com os dirigentes;  passar todo o esquema tático e ainda fazer com que seja bem aplicado. Nas categorias de base, exerce uma influência ainda maior, pois é um dos principais responsáveis pela qualidade das experiências esportivas de crianças e jovens. Por isso, não é surpreendente, quando vemos alguns técnicos tendo comportamentos extremados em campo/quadra, denotando total descontrole emocional e mental, muito longe do ideal, e que denigre sua imagem e serve de mal exemplo para os atletas. O psicólogo do esporte pode e deve oferecer os seus serviços e apoio, também ao técnico, ele pode ser beneficiado e muito com o atendimento psicológico.

O treinamento psicológico no esporte pode visar ao desenvolvimento e aperfeiçoamento de vários aspectos psicológicos, dentre eles: gerenciamento de stress, estabelecimento de objetivos, aumento da autoconfiança, atenção e concentração, autocontrole de ativação e relaxamento, utilização de visualização e imagem, estratégias de rotinas e competitividade, elevação de motivação e comprometimento e manutenção de níveis adequados dos estados de humor (tensão, depressão, raiva, vigor, confusão e fadiga).

Uma das estratégias de intervenção que eu utilizo, e na qual tenho obtido ótimos resultados, é o método Coaching que é um processo, com início, meio e fim, onde o Coach (facilitador do processo de mudança) apóia o Cliente/coachee (agente de mudança) na identificação de metas de curto, médio e longo prazo, desenvolvimento de competências e recursos, estratégias, ação, aprendizagens e melhoria contínua.

O Coaching é composto de 7 elementos, são eles:
1- Situação atual, onde está;
2- Situação desejada, aonde quer chegar, objetivos e metasvalores – o que esse objetivo traz;
3- Estratégia, como chegar lá: plano de açãoopções – escolhas; recursos – internos e externos – o que tem e o que necessita e crenças – convicções fortalecedoras ou limitadoras – impedimentos;
4- Ações e tarefas – 1o. passo e ações continuadas;
5- Resultado;
6-Aprendizagem;
7- Melhoria Contínua (Ciclo de Excelência).

Esse método auxilia o indivíduo através do questionamento socrático (método de descoberta orientada), uma das técnicas utilizadas, a obter uma maior conscientização de si mesmo e de seu comportamento, facilitando o desligamento do piloto automático (conduzido pelos nossos pensamentos automáticos). Outras técnicas eficazes utilizadas são a de solução de problemas e desafio de crencas limitadoras, dentre outras.
Os benefícios obtidos compreendem: o desenvolvimento da capacidade de: enfrentar desafios, resolver problemas e atitude mental positiva.
Através do Método Coaching, atletas e técnicos  podem melhorar sua performance consideravelmente, resgatando desse modo, sua autonomia pessoal e profissional.

Obs: os textos são de inteira responsabilidade de seus autores e não sofrem qualquer modificação em seu conteúdo.

Anúncios