História do Basquetebol · Todos os posts

Mundial Masculino – 1963: 1a. rodada

Amigos do Basquetebol

Conforme prometido, a partir de hoje e até o dia 24 de maio tentarei levar a vocês um pouco das emoções do Campeonato Mundial de 1963, quando conquistamos o Bi. Serão “reportagens” relatando os jogos, curiosidades e depoimentos de pessoas que estiveram lá.

Para não encher a caixa postal de vocês, não vou colocar os já conhecidos avisos quando posto alguma coisa nova. Mas fiquem atentos. Todos os dias haverá algo novo.

Venham nesta viagem ao passado maravilhoso do nosso basquetebol.

13 de maio de 1963

Ontem, tivemos ontem a abertura do Campeonato Mundial de Basquetebol Masculino.

Nenhuma surpresa na primeira rodada.

Pelo Grupo A (Belo Horizonte)

França 64 x  54 Uruguay; União Soviética 58 x 45 Canadá

Pelo Grupo B (Curitiba)

Yugoslávia 84 x 67 Peru; P.Rico 86 x 65 Japão

Pelo Grupo C (São Paulo)

Estados Unidos 88 x 74 Mexico; Itália 91 x 73 Argentina

Nesta primeira rodada atuaram os seguintes árbitros brasileiro:

Osvaldo Gelsomini (França x Uruguay); Carlos Gazelli (União Soviética x Canadá); Franco Conte (Yugoslávia x Peru); Luis Marzano (P.Rico x Japão); Orlando Tabuso (EUA x México) e Laércio Costa (Itália x Argentina)

Willis Rreed astro da equipe americana que se tornaria uma das lendas da NBA
Willis Rreed  – destaque da equipe americana com 16 pontos. (Obs:Reed foi incluído na lista dos 50 melhores atletas da NBA de todos os tempos)

Hoje- 13 de maio –  teremos os seguintes jogos:

GA: Uruguay x Canadá e União Soviética x França

GB: P.Rico x Peru e Yugoslávia x Japão

GC: Itália x México e Estados Unidos x Argentina

Os ingressos para os jogos variam de CR$ 200,00 a CR$ 1.000,00 e em São Paulo a Federação Paulista de Basketball oferece ingressos aos estudantes por R$ 300,00 (Fonte: http://acervo.folha.com.br/fsp/1963/05/12/2/)

Enquanto as doze equipes lutam por seis vagas para a fase final que será realizada na cidade do Rio de Janeiro, o Brasil segue sua preparação, após obter o vice-campeonato Pan-Americano há uma semana em São Paulo.

Nossa equipe é praticamente a mesma: Amaurty, Wlamir, Rosa Branca, Waldemar, Sucar, Mosquito, Menon, Victor, Fritz e Ubiratan. Jatyr e Paulista completam a equipe substituindo Edson Bispo e Celso Scarpini. O técnico é Togo Renan Soares – Kanela, auxiliado por Moacyr Daiuto.

Em entrevista ao Viva o Basquetebol, o jovem atleta Luis Cláudio Menon (19 anos) que faz sua segunda aparição pela Seleção Brasileira (a primeira foi no recém terminado Jogos Pan Americanos), afirmou que a equipe vem de uma boa preparação feita para os Jogos Pan Americanos. Ele afirma que o Brasil esteve muito mal no jogo final contra os Estados Unidos mas que espera enfrentar os americanos novamente e ir à forra na fase final deste Mundial.

Aliás este também é o sentimento do armador Mosquito que disse estar com os americanos entalados na garganta.

O consagrado Wlamir Marques, capitão de nossa equipe, deixou claro que a derrota para os americanos no Pan não vai abater a equipe e que o Brasil é um dos favoritos, mas sempre respeitando muito todos os adversários.

Benedito Cícero Tortelli, conhecido como Paulista, atleta que substituiu Edson Bispo nesta seleção afirma que o Brasil já vem se preparando desde agosto de 1962 para o mundial que deveria ser nas Filipinas. Portanto a equipe está bem preparada para a competição.

O Brasil está hospedado no Hotel das Paineiras e os treinamentos estão sendo realizados no Maracananzinho, Flamengo e  Escola de Educação Física do Exército.

Menon, jovem valor que desponta para o basquetebol brasileiro
Menon, jovem valor que desponta para o basquetebol brasileiro
Anúncios