Colaboradores · Psicologia do Esporte · Todos os posts

Como você lida com o sucesso?

Amigos do Basquetebol

Neste post trago a colaboração do meu grande amigo e excelente profissional Hermes Balbino.

Hermes é psicólogo, Doutor em Educação Física pela UNICAMP, ex-preparador físico da seleção brasileira feminina Campeão do Mundo (1994), Medalha de Prata em Atlanta (1996) e Medalha de Bronze em Sydney (2000).

O Prof. Hermes nos traz um tema interessante sobre como lidar com o sucesso. Vamos ao texto:

Como você lida com o sucesso?

Chegar a um ponto máximo de uma conquista traz uma sensação indescritível, e é uma das etapas para a realização pessoal. Consegue aceitar que merece a experiência de sentir a felicidade da realização? E quanto custa manter-se neste nível de cumprir etapas bem sucedidas? Você está preparado para assumir as responsabilidades que o sucesso traz?

Um fato ocorrido com o tenista John McEnroe, após vencer de maneira espetacular seu adversário Bjorn Borg, chama a atenção para a possibilidade aparentemente impossível: o medo do sucesso. Após essa vitória, McEnroe tornou-se o tenista número 1 do ranking mundial e confessa que a adaptação a esta nova posição foi difícil e custosa, pois tornou-se para ele muito mais um peso do que uma conquista e reconhecimento pelos seus esforços. Foi notório que sua técnica e seu jogo caíram sensivelmente: “eu não conseguia ajeitar as coisas, e não sei por quê”. Os medos decorrentes das responsabilidades pela manutenção desta posição cobravam um outro investimento de McEnroe, pois sendo o primeiro, a vista mudara sensivelmente.

Quando vencemos um desafio, tem-se a ilusão de que este ponto é o último de uma jornada e o descanso para desfrutar desta glória aparente será o prêmio merecido pelos investimentos de um longo caminho. No entanto, depois dos momentos de felicidade inicial, a ilusão se desfaz.

Jerry Lynch nos ensina que assim como não devemos nos apegar às experiências frustradas pelo insucesso, não devemos nos apegar às nossas vitórias. Os momentos de triunfo servem de apoio a novos momentos de desafios que estão por vir. Vencer ou perder significa resultado alcançado ou não. Após esse momento, outro ciclo se abre e devemos estar prontos e renovados para começar tudo novamente, pois a jornada pessoal não termina com uma conquista, seja ela qual for. É ilusão para o homem ‘ter que’ manter a posição no topo, em qualquer domínio das atividades humanas, sejam esportivas ou do mundo organizacional. Por isso, não precisamos temer o sucesso, pois ele sempre será seguido por novos ciclos que se iniciam após alcançá-lo.

Para alguns atletas, o sucesso pode tornar-se um monstro com o decorrer do tempo, e passam a sabotar de maneira inconsciente a possibilidade de vencer, interrompendo o fluxo de seus esforços ao adoecer ou sofrerem com lesões surpreendentes às vésperas de grandes desafios. Associam a vitória com o enorme estresse que o sucesso traz. Ao pensarem assim, o desempenho decai, e tornam-se susceptíveis a erros e à inconsistência da performance. Aqui devemos lembrar que as pessoas que participam de um contexto que exige resultados estão sujeitas a falhas, se estão dispostas a fazer coisas com qualidade. No entanto, aprender com falhas não significa que se deve desejá-la, pois podem vir antes do tempo. O sucesso, ao contrário do que muitos pensam, alavanca outras áreas da vida como trabalho, família, amigos, e pode trazer à tona a possibilidade de dedicar-se mais a uma atividade em que alguém se mostra especialista por fazer algo bem feito.

Diz a Sabedoria: “Faça o que gosta de fazer e torne-se um mestre nisso”.

Anúncios