Mundial Masculino · Opinião do autor · Todos os posts

Copa do Mundo de Basquetebol: as feras que vamos enfrentar – Sérvia

Amigos do Basquetebol

Depois de jogar contra a Espanha e folgar no dia 1 de setembro, o próximo compromisso do Brasil na Copa do Mundo de Basquetebol será no dia 2 de setembro contra a poderosa Sérvia.

Oriunda de uma das melhoras escolas do basquetebol mundial (ex-Iugoslávia) a Sérvia surge como grande desafio ao nosso selecionado, não só pela tradição, mas pela força do basquetebol apresentado pelos atletas que atuam pelas principais equipes europeias. Em competições oficiais o Brasil obteve somente duas vitórias contra a ex-Iugoslávia (uma no Mundial e uma em Jogos Olímpicos) em 11 jogos disputados.

Atualmente, a Sérvia ocupa a 11a. colocação no ranking da FIBA, um posto abaixo do Brasil. Seus últimos resultados internacionais foram: 4o. lugar no Mundial da Turquia, em 2010; 7o. lugar na Euro em 2013. A Sérvia conseguiu a última vaga para a Copa do Mundo, já que a Europa dispunha de 6 vagas. Mas como a Espanha classificou-se entre os seis primeiros a Sérvia beneficiou-se desta condição. A Sérvia não se classificou para os Jogos Olímpicos de Londres.

Seus principais destaques:

– Teodosic – armador do CSKA Moscou. Por lesão não participou da última edição da Euro. No TOP 16 da Euroliga nesta temporada tem atuado em média 26 minutos e meio, anotado 13.3 pts, 3,6 assists e 13,9 efi

– Krstic – pivô do CSKA. Na última edição da Euro anotou 15,4 pts e 4,8 rebotes. Na Euroliga joga em média 26 minutos e 40 segundos com média de 17,1 pts, 4,9 rebotes e 21,1 eficiência

– Nemanja Bjelica – ala-pivô atua no Fenerbaçe. Sua média atual no Top 16 da Euroliga é de 25 minutos, 10,3 pontos, 5,1 rebotes e 13 de eficiência

– Bogdan Bogdanovic – ala-armador do Partizan Beograd. Sua média é de 34 minutos na Euro, 20,9 pontos, 4 assists e 17,4 efi

– Erceg – pivô do Galatasary – tem média de 30 minutos, 14 pontos, 5,5 rebotes e 16,5 de eficiência

Além desses atletas que atuam no basquetebol Europeu a Sérvia ainda conta com Nemanja Nedovic que atua na NBA pelo Goldem State.

Como podemos notar o Brasil não terá vida fácil neste jogo. E com uma agravante: sempre tivemos muitas dificuldades em jogar contra equipes “iugoslavas”. mas, com certeza, será um duelo digno de ser visto.

Sérvia - a tradição do basquetebol "Iugoslavo" no nosso caminho
Sérvia – a tradição do basquetebol “Iugoslavo” no nosso caminho
Anúncios
Mundial Masculino · Opinião do autor · Todos os posts

Copa do Mundo de Basquetebol: as feras que vamos enfrentar – Espanha

Amigos do Basquetebol

Nosso terceiro jogo na Copa do Mundo de Basquetebol será contra o time da casa e favoritíssimo ao título: Espanha.

Ao longo dos últimos anos, a Espanha tornou-se o principal mercado do basquetebol, atraindo atletas do mundo todo para seu campeonato (ACB) e também exportando atletas para a NBA, como é o caso dos irmãos Gasol, Ricky Rúbio, Calderón e Ibaka, somente para citar alguns deles.

A Espanha vem com todas as credenciais para disputar com os Estados Unidos o Título Mundial. Vice Campeã Olímpica, perdendo do próprio Estados Unidos em um jogo muito equilibrado, terceira colocada na Euro de 2013 e atualmente ocupando o 2o. lugar no Ranking da FIBA, a Espanha será um adversário duríssimo.

Nosso último confronto com os espanhóis aconteceu em Londres, nos Jogos Olímpicos de 2012. Vencemos a partida por 88 a 82 e pairou uma suspeita de que os espanhóis não teriam feito muito esforço para vencer para não cruzar com os Estados Unidos na final.

Mas agora será bem diferente, pois jogando diante de sua torcida a Espanha terá sua força máxima e não medirá esforços para estar na grande final. Com certeza, o técnico da Seleção Espanhola terá muito trabalho para escolher os doze jogadores para a Copa do Mundo.

A quantidade de jogadores de excelente nível para integrar a seleção espanhola torna difícil qualquer escolha para que se faça uma análise. Mas para não fugir da briga faço aqui minhas análises, escolhendo algumas dessas feras correndo o grande risco de cometer injustiças:

Pau Gasol – atualmente no Lakers, não passa por grande fase assim como a equipe de Los Angeles. Mas na Seleção Espanhola, certamente fará muita diferença. Nos Jogos Olímpicos de Londres ele atuou as 8 partidas e marcou 19,3 pts e 7,7 rebotes.

Marc Gasol – atleta do Memphis Grizzlies  faz com seu irmão uma dupla de pivôs de muito respeito. Na Euro de 2013 participou de 11 partidas com média de 13,9 pts e 7,8 rebotes.

Rudy Fernandez – atua no Real Madrid e é, em minha opinião, um dos melhores alas-armadores do mundo. Na Euro 2013 atuou por 11 jogos marcando 12,0 pts. Disputando atualmente o Top 16 da Euroliga tem média de 11,7 pts, 2,7 assists e 15,5 de eficiência.

Sérgio Rodriguez – faz com Rudy Fernandez uma das duplas mais eficientes do basquetebol mundial. Na Euro de 2013 sua média de pontos foi de 9,8 e 3,2 de assistências. No top 16 da Euroliga tem média de 15,3 pts, 4,0 assits e 19,5 de eficiência.

Juan Carlos Navarro – ícone da equipe do Barcelona é um dos mais importantes atletas do basquetebol espanhol de todos os tempos. Não participou da Euro, mas nos Jogos de Londres teve média de 8,4 pontos. Apesar de ter sido vítima de algumas lesões nas últimas temporadas, Navarro tem atuado pelo Barcelona e no Top 16 da Euroliga tem média de 12,2 pontos e 12,6 de assistências.

Ricky Rúbio – surgiu como a grande promessa do basquetebol espanhol. Apesar de ter sofrido graves lesões voltou atuando em altíssimo nível na NBA, onde joga pelo Minesotta Timberwolves com média de 31,5 minutos, 10 pontos e 7,9 assists. Na Euro 2013 marcou 7,2 pontos e 2,4 assists.

Enfim, como se pode perceber, teremos uma parada duríssima contra os espanhóis. Com certeza será o jogo mais complicado para nossa seleção que, além de enfrentar essa coleção de feras, terá pela frente a “fúria” espanhola. Mas para o basquetebol será um prato cheio. Estarei lá para conferir.

Coleção de grandes atletas. Dá para encarar?
Coleção de grandes atletas. Dá para encarar?
Mundial Masculino · Opinião do autor · Todos os posts

Copa do Mundo de Basquetebol: as feras que vamos enfrentar – Irã

Amigos do Basquetebol

O Irã será nosso segundo adversário (31/08) na Copa do Mundo de Basquetebol da Espanha.

Sem muita tradição no cenário mundial, o Irã participou somente de um campeonato Mundial – 2010 na Turquia – obtendo um modesto 19o. lugar. Atualmente, é o 20o. colocado no ranking da FIBA.

Naquele campeonato Brasil e Irã se enfrentaram na fase classificatória e nossa equipe teve uma vitória tranquila – 81 x 65.  A equipe iraniana não passou da primeira fase e obteve somente uma vitória sobre a Tunísia.

No torneio classificatória da Ásia, o Irã foi o Campeão com 9 vitórias, vencendo na fina as Filipinas.

Os destaques desta equipe são o pivô Haddad, o lateral Bahrami e o armador Kamrany.

Haddad é um pivô muito forte que no Torneio Asiático teve uma média de 18,8 pts  e 10 rebotes por jogo, sendo considerado o MVP do Torneio. Atua na NBA desde 2008 e atualmente defende o Phoenix Suns. No entanto, sua participação na NBA é muito discreta, atuando 7 minutos por jogo, e com 2,2 pts e 2,5 rebotes.

O lateral Bahrami atua na China, com passagens em equipes iranianas e francesas. Sua média de pontos no Torneio Asiático foi de 12,8 e 4,2 assists.

Kamrany é armador e atua no basquetebol iraniano. No torneio Asiático marcou 10,3 pts e 6,6 assists.

O Irã, certamente, será uma das equipes mais fracas do grupo. Isto, a princípio pode tornar o confronto fácil. Mas, todo cuidado será pouco para que o Brasil não seja surpreendido por esta equipe. Uma derrota frente ao Irã poderá tirar o Brasil das fases seguintes.

Bahrami e Haddadi comemorando o título Asiático
Bahrami e Haddadi comemorando o título Asiático
Mundial Masculino · Opinião do autor · Todos os posts

Copa do Mundo de Basquetebol: as feras que vamos enfrentar – França

Amigos do Basquetebol

A Copa do Mundo de Basquetebol está chegando. O Brasil ficou em um grupo considerado muito difícil (Espanha, Sérvia, França, Irã e Egito).

Acredito demais na classificação para as oitavas e, sinceramente, frente às possibilidades de cruzamento a colocação do Brasil no Grupo A fará pouca diferença. Afinal teremos que cruzar com Argentina, Grécia, Croácia ou Porto Rico. Dá para escolher adversário numa situação dessas?

Em nosso grupo teremos que enfrentar jogadores muito qualificados. E nos próximos posts tentarei levar a vocês um pouco da história desses atletas. Claro que alguns dos citados poderão não estar na Copa do Mundo por questões contratuais com a NBA, lesões ou mesmo por opção de seus treinadores. Mas vale torcer para que estejam lá pois a qualidade desses atletas só contribuirá para a beleza do espetáculo

E vamos começar com a seleção francesa nosso primeiro adversário (30/08).

Depois de um decepcionante 13o. no Mundial da Turquia, a França, que naquele campeonato não contou com sua principal estrela Tony Parker, teve uma sequência de ótimos resultados: 2o. na Euro de 2011, 6o. nos Jogos Olímpicos de 2012 e Campeã da Euro em 2013.

Uma equipe com muita qualidade e com jogadores que se destacam principalmente na NBA.

Sem dúvida sua principal estrela é o armador Tony Parker, eleito o MVP da Euro-2013. Na Euro 2013 atuou em média 29,6 minutos, anotando  19 pts por jogo, Parker alia uma refinada técnica à inteligência de jogo apurada. Integrando a equipe do San Antonio pela 13a. temporada, Parker é ao lado de Tim Duncan e Manu Ginobili um dos jogadores mais importantes da equipe. Nesta atual temporada, Parker tem média de 17,9 pts e 6,3 assists por jogo.

Outro astro francês que também atua no San Antonio é Boris Diaw. Ala-Pivô, sua média de pontos nos Jogos Olímpicos de Londres foi de 7,7. Nos rebotes, 6,0. No mundial de 2010 sua média foi de 8,5 pts e 5,7 rebotes. Na Euro sua média de pontos foi de 10,4 em 28,3 minutos.

O lateral Gelabale é outro destaque desta fortíssima equipe. Na Euro 2013 atuou em média 24,7 minutos, anotando 7,6 pontos por partida.

Completam esse grande time o lateral Nicolas Batum (11,6 pts e 5,1 rebotes na Euro 2013), o pivô Ajinça (9,1 pts e 7,7 reb) e Nando Decolo, que apesar de não ter feito uma grande campanha na Euro, é um jogador de muita qualidade.

Enfim, este será nosso primeiro grande desafio na Copa do Mundo de 2014. De qualquer forma teremos a oportunidade de presenciar grandes jogadores e quem sabe um grande jogo.

França campeã da Euro 2013

França – Campeã da Euro 2013.

Opinião do autor · Todos os posts

Falou o meu lado professor

Amigos do Basquetebol

Neste post não vou falar de basquetebol. Vou deixar fluir meu lado professor que sou desde 1974, lecionando em todos os níveis mas com uma maior experiência no ensino universitário, no qual militei por 35 anos.

Como docente não posso deixar de me indignar com alguns fatos que estão sobressaindo em nossa realidade.

Nosso país é sempre ranqueado entre os piores do mundo em qualquer avaliação que se faça, ficando atrás de países com muito menos recursos. E somos obrigados a ouvir mentiras dos inúmeros Ministros da Educação sobre a qualidade da nossa educação.

Nosso país foi classificado, recentemente, como o oitavo país do mundo em número de analfabetos adultos (cerca de 10 milhões). E isto sem contar os analfabetos funcionais que mal sabem escrever seus nomes.

Nosso país tem um sistema educacional falido e corrompido que muda a cada ano, sem que se apresente uma solução derradeira para a caótica educação de nossos jovens.

Nosso país tem uma estrutura física disponível para a educação que é deplorável. Prédios caindo aos pedaços, instalações esportivas e laboratórios em estado de total decomposição, sem falar dos materiais para o funcionamento dessas instalações.

Em nosso país professores são agredidos e intimidados diariamente por delinquentes que invadem as salas de aula para fazer valer sua sede de violência. e isto tudo para receber ao final do mês uma migalha.

Em nosso país político é muito mais importante que professor. E não precisa nem fazer concurso para se inserir na vida pública e ganhar fábulas por seu trabalho (será que podemos chamar de trabalho o que os políticos fazem?). Aqui professor ganha um mísero salário para educar. Político ganha fábulas para enganar.

Em nosso país falar corretamente é sinônimo de ser brega. O legal é falar “nois vai”, “nois fica” “menas” e “véio”.

Em nosso país os jovens dão prioridade a rolezinhos, roupas de grife, beber e “otras cositas más” ao invés de priorizar o estudo e a cultura.

Nosso país tem ministros da educação que ao invés de analisar os dados seriamente para tomar atitudes importantes para melhorar a educação, vêm a público para criticar e desmentir o que está escancarado.

Nosso país tem jovens que chegam à universidade incapazes de montar uma frase ou um parágrafo completo, fruto de uma educação deficiente em sua base.

Em nosso país dá-se bolsa de estudos para que jovens frequentem a universidade sem a menor condição de fazê-lo ao invés de dar a eles uma educação decente para que possam enfrentar a universidade de forma adequada.

Em nosso país o professor universitário tem que consertar os erros básicos que a educação básica não consegue sanar.

Em nosso país os jovens são ensinados a colocar o X no lugar certo ao invés de interpretar os fatos.

Em nosso país o conteúdo ensinado nas escolas tem pouco a ver com nossa realidade e de pouca utilidade em sua vida profissional. O importante é a quantidade de conteúdo e não a qualidade.

Em nosso país a mídia exalta o falar errado, a degradação do jovem, o pancadão, os “guerreiros” do BBB, e tantas outras inutilidades que contribuem cada vez mais para a des-educação do jovem.

Enfim, em nosso país a educação caminha por uma estrada tortuosa e cheia de problemas que nossos dirigentes não querem consertar. E isto me deixa indignado e desiludido, temendo pelo futuro das próximas gerações, nas quais meus netos estarão incluídos.

Mas nada está perdido, pois a Copa e os Jogos Olímpicos estão aí para acabar com todos esses problemas.

Talvez eu esteja exagerando pois nossas autoridades parece que não pensam como eu. Para eles está tudo bem. Nossa educação é de primeiro mundo. Eu só gostaria de saber onde estudam os filhos e netos dos nossos políticos. Com certeza não será em escola pública.

Desculpem o desabafo!

História do Basquetebol · Mundial Masculino · Todos os posts

O Brasil e seus adversários na Copa do Mundo: 1a. fase

Amigos do Basquetebol

Foi realizado o sorteio dos grupos para a primeira fase da Copa do Mundo de Basquetebol que será realizado na Espanha de 30 de agosto a 14 de setembro.

O Brasil vai fazer parte do Grupo A, que jogará em Granada e que contará com as seguintes equipes: Espanha, França, Sérvia, Egito e Irã.

É um grupo muito difícil pois conta com a Espanha (atual vice-campeã mundial e vice-campeã europeia), França (campeã europeia) e Sérvia (4a. colocada no último mundial e um país com uma grande tradição no basquetebol mundial).

Algumas curiosidades sobre nossos adversários:

– Em Mundiais, o Brasil enfrentou a Espanha 7 vezes, obtendo somente 1 vitória. Contra a França foram 3V e 1D; uma derrota contra a Sérvia e uma vitória contra Egito e Irã;

– O Brasil participou de todas as edições do Mundial (16) obtendo o bi-campeonato em 1959 e 1963. Em 2010 terminamos em 9o. Já a Espanha participou de 10 campeonatos, com um título em 2006 e 6o. em 2010. A França participou de 6 campeonatos e seu melhor resultado foi o 4o. lugar em 1954. Em 2010 obteve um modesto 13o. a Sérvia participou de 2 campeonatos sendo seu melhor resultado o 4o. lugarem 2010. O Egito tem 3 participações e um 5o. lugar em 1950. Já o Irã em sua única participação obteve o 19o. lugar em 2010.

– No ranking da FIBA, a Espanha ocupa a 2a. colocação; a França é 8a.; Brasil é 10o.; Sérvia é 11o.; Irã é 20o e Egito o 46o.

O Brasil deverá obter sua classificação, já que os 4 primeiros do grupo passarão às oitavas de final e enfrentarão os 4 melhores classificados do grupo B que tem Filipinas, Senegal, Porto Rico, Argentina, Grécia e Croácia.

Esperemos que a CBB consiga resolver os costumeiros problemas que impedem a vinda dos atletas da NBA e faça um planejamento adequado para que aproveitemos essa grande oportunidade que nos foi dada através do convite.

Mundial Masculino · Opinião do autor · Todos os posts

O Brasil estará na Copa do Mundo de Basquetebol

Amigos do Basquetebol

O Brasil estará na Copa do Mundo de 2014. Fomos agraciados com um dos convites destinados pela FIBA.

Se merecemos ou não, na quadra, agora é uma questão fora de ordem. Como eu havia palpitado o Brasil seria um dos convidados em função de alguns critérios que entendia ser mais do que suficientes para receber o convite.

Grécia e Turquia também receberam o convite. Eu apostava na Grécia e colocava a Turquia como ‘stand by”, acreditando que Rússia e China seriam os demais agraciados. E para minha surpresa (e de muitos) esses dois países foram preteridos em favor da Finlândia, país sem muita tradição mas que no último Eurobasket surpreendeu muitos, vencendo inclusive a Grécia, Turquia e Rússia.

Agora o quadro está completo, com o nosso Brasil mantendo a tradição de ser, juntamente com Estados Unidos, o único país a participar de todas as edições do Mundial.

Como eu disse anteriormente, se merecemos ou não, estã fora da discussão. As questões técnicas que nos impediram de conseguir a classificação em quadra devem ser levadas em consideração para que se trace um planejamento adequado para que possamos fazer uma campanha digna de nossas tradições.

Espero que a CBB consiga lidar com as questões que tanto têm atrapalhado nosso basquetebol nos últimos anos e resolva a situação de nossos astros internacionais para que participemos com nossa força máxima. E se assim for, tenho a certeza que o Brasil lutará no topo, brigando de igual para igual com muitas equipes que estarão na competição.

Dia 4, segunda feira, teremos os sorteios dos grupos. Vamos começar a torcer.

Só para relembrar os classificados:

Angola,ArgentinaAustraliaBrazilCroatiaDominican RepublicEgyptFinlandFranceGreece,IranKoreaLithuaniaMexicoNew ZealandPhilippinesPuerto RicoSenegalSerbia,SloveniaSpainTurkeyUkraine and USA. (www.fiba.com)

Bola do Mundial Spain-ball-30-01-2014