Mundial Masculino · Opinião do autor · Todos os posts

Copa do Mundo de Basquetebol: as feras que vamos enfrentar – Espanha

Amigos do Basquetebol

Nosso terceiro jogo na Copa do Mundo de Basquetebol será contra o time da casa e favoritíssimo ao título: Espanha.

Ao longo dos últimos anos, a Espanha tornou-se o principal mercado do basquetebol, atraindo atletas do mundo todo para seu campeonato (ACB) e também exportando atletas para a NBA, como é o caso dos irmãos Gasol, Ricky Rúbio, Calderón e Ibaka, somente para citar alguns deles.

A Espanha vem com todas as credenciais para disputar com os Estados Unidos o Título Mundial. Vice Campeã Olímpica, perdendo do próprio Estados Unidos em um jogo muito equilibrado, terceira colocada na Euro de 2013 e atualmente ocupando o 2o. lugar no Ranking da FIBA, a Espanha será um adversário duríssimo.

Nosso último confronto com os espanhóis aconteceu em Londres, nos Jogos Olímpicos de 2012. Vencemos a partida por 88 a 82 e pairou uma suspeita de que os espanhóis não teriam feito muito esforço para vencer para não cruzar com os Estados Unidos na final.

Mas agora será bem diferente, pois jogando diante de sua torcida a Espanha terá sua força máxima e não medirá esforços para estar na grande final. Com certeza, o técnico da Seleção Espanhola terá muito trabalho para escolher os doze jogadores para a Copa do Mundo.

A quantidade de jogadores de excelente nível para integrar a seleção espanhola torna difícil qualquer escolha para que se faça uma análise. Mas para não fugir da briga faço aqui minhas análises, escolhendo algumas dessas feras correndo o grande risco de cometer injustiças:

Pau Gasol – atualmente no Lakers, não passa por grande fase assim como a equipe de Los Angeles. Mas na Seleção Espanhola, certamente fará muita diferença. Nos Jogos Olímpicos de Londres ele atuou as 8 partidas e marcou 19,3 pts e 7,7 rebotes.

Marc Gasol – atleta do Memphis Grizzlies  faz com seu irmão uma dupla de pivôs de muito respeito. Na Euro de 2013 participou de 11 partidas com média de 13,9 pts e 7,8 rebotes.

Rudy Fernandez – atua no Real Madrid e é, em minha opinião, um dos melhores alas-armadores do mundo. Na Euro 2013 atuou por 11 jogos marcando 12,0 pts. Disputando atualmente o Top 16 da Euroliga tem média de 11,7 pts, 2,7 assists e 15,5 de eficiência.

Sérgio Rodriguez – faz com Rudy Fernandez uma das duplas mais eficientes do basquetebol mundial. Na Euro de 2013 sua média de pontos foi de 9,8 e 3,2 de assistências. No top 16 da Euroliga tem média de 15,3 pts, 4,0 assits e 19,5 de eficiência.

Juan Carlos Navarro – ícone da equipe do Barcelona é um dos mais importantes atletas do basquetebol espanhol de todos os tempos. Não participou da Euro, mas nos Jogos de Londres teve média de 8,4 pontos. Apesar de ter sido vítima de algumas lesões nas últimas temporadas, Navarro tem atuado pelo Barcelona e no Top 16 da Euroliga tem média de 12,2 pontos e 12,6 de assistências.

Ricky Rúbio – surgiu como a grande promessa do basquetebol espanhol. Apesar de ter sofrido graves lesões voltou atuando em altíssimo nível na NBA, onde joga pelo Minesotta Timberwolves com média de 31,5 minutos, 10 pontos e 7,9 assists. Na Euro 2013 marcou 7,2 pontos e 2,4 assists.

Enfim, como se pode perceber, teremos uma parada duríssima contra os espanhóis. Com certeza será o jogo mais complicado para nossa seleção que, além de enfrentar essa coleção de feras, terá pela frente a “fúria” espanhola. Mas para o basquetebol será um prato cheio. Estarei lá para conferir.

Coleção de grandes atletas. Dá para encarar?
Coleção de grandes atletas. Dá para encarar?
Anúncios

4 comentários em “Copa do Mundo de Basquetebol: as feras que vamos enfrentar – Espanha

  1. Meu caro Dante Rose, apesar de minha ascendencia espanhola sou forçado a não concordar com sua declaração em considerar a equipe espanhola como “favoritíssima” para conquistar o proximo campeonato mundial a ser ser realizado na Espanha.
    É, sem dúvida, uma das favoritas ao lado da França, que a derrotou na final do ultimo europeu.
    Favoritíssima mesmo é a equipe dos Estados Unidos, que pode prescindir do concurso de um jogador da categoria de Kobe Bryant, que não figura entre os convocados por decisão pessoal, assim como poderia incluir varios outros fantásticos jogadores que não estão relacionados nesta seleção.
    Atrevo-me a referir que existem nos Estados Unidos jogadores, entre profissionais e universitarios, com categoria suficiente para formar pelo menos dez equipes que poderiam representar o pais e conquistar o titulo mundial.
    “Eles” são de outro planeta…..

    1. Caro Amaury
      Inicialmente é uma honra tê-lo comentando um post. Sua opinião é muito valiosa e concordo com suas colocações. Eu citei o favoritismo da Espanha, principalmente por jogar em casa o que fará com que a equipe jogue completa. Concordo que os americanos são extra terrestres, mas terão que vir com uma equipe muito forte pois nos Jogos Olímpicos mesmo com atletas de altíssimo nível tiveram que suar a camisa para vencer os espanhóis. Eu acredito que a final olímpica vai se repetir neste mundial. E com certeza teremos um jogo sensacional.

      Obrigado pelo comentário

    2. Amaury. Continuo concordando contigo quanto à questão de haver um certo relaxamento depois de um resultado muito folgado. Mas de qualquer maneira eu espero um mundial muito bom e continuo torcendo por uma final entre Espanha e Estados Unidos. Acho que será uma festa linda. É claro que se o Brasil tiver competência para estar entre os primeiros será muito melhor. Grande abraço.

  2. Dante, é necessário lembrar que antes da final olimpica entre Espanha e Estados Unidos, os americanos “meteram” perto de 30 pontos nos espanhois. É frequente, após um resultado desses, a equipe mvencedora jogar com uma certa displicencia.
    Lhe posso afirmar, com conhecimento de causa pois estava na quadra jogando, que na olimpiada de Tokio perdemos pela primeira vez do Peru!!! ex fregues de caderneta. Fomos pra quadra obrigados a ganhar da Iugoslavia por mais de 8 pontos para obtermos a classificação. Terminamos a olimpiada com medalha de bronze, a única de toda nossa delegação.
    Amaury

Os comentários estão fechados.