Mundial Masculino · Opinião do autor · Todos os posts

Copa do Mundo de Basquetebol: as feras que vamos enfrentar – Sérvia

Amigos do Basquetebol

Depois de jogar contra a Espanha e folgar no dia 1 de setembro, o próximo compromisso do Brasil na Copa do Mundo de Basquetebol será no dia 2 de setembro contra a poderosa Sérvia.

Oriunda de uma das melhoras escolas do basquetebol mundial (ex-Iugoslávia) a Sérvia surge como grande desafio ao nosso selecionado, não só pela tradição, mas pela força do basquetebol apresentado pelos atletas que atuam pelas principais equipes europeias. Em competições oficiais o Brasil obteve somente duas vitórias contra a ex-Iugoslávia (uma no Mundial e uma em Jogos Olímpicos) em 11 jogos disputados.

Atualmente, a Sérvia ocupa a 11a. colocação no ranking da FIBA, um posto abaixo do Brasil. Seus últimos resultados internacionais foram: 4o. lugar no Mundial da Turquia, em 2010; 7o. lugar na Euro em 2013. A Sérvia conseguiu a última vaga para a Copa do Mundo, já que a Europa dispunha de 6 vagas. Mas como a Espanha classificou-se entre os seis primeiros a Sérvia beneficiou-se desta condição. A Sérvia não se classificou para os Jogos Olímpicos de Londres.

Seus principais destaques:

– Teodosic – armador do CSKA Moscou. Por lesão não participou da última edição da Euro. No TOP 16 da Euroliga nesta temporada tem atuado em média 26 minutos e meio, anotado 13.3 pts, 3,6 assists e 13,9 efi

– Krstic – pivô do CSKA. Na última edição da Euro anotou 15,4 pts e 4,8 rebotes. Na Euroliga joga em média 26 minutos e 40 segundos com média de 17,1 pts, 4,9 rebotes e 21,1 eficiência

– Nemanja Bjelica – ala-pivô atua no Fenerbaçe. Sua média atual no Top 16 da Euroliga é de 25 minutos, 10,3 pontos, 5,1 rebotes e 13 de eficiência

– Bogdan Bogdanovic – ala-armador do Partizan Beograd. Sua média é de 34 minutos na Euro, 20,9 pontos, 4 assists e 17,4 efi

– Erceg – pivô do Galatasary – tem média de 30 minutos, 14 pontos, 5,5 rebotes e 16,5 de eficiência

Além desses atletas que atuam no basquetebol Europeu a Sérvia ainda conta com Nemanja Nedovic que atua na NBA pelo Goldem State.

Como podemos notar o Brasil não terá vida fácil neste jogo. E com uma agravante: sempre tivemos muitas dificuldades em jogar contra equipes “iugoslavas”. mas, com certeza, será um duelo digno de ser visto.

Sérvia - a tradição do basquetebol "Iugoslavo" no nosso caminho
Sérvia – a tradição do basquetebol “Iugoslavo” no nosso caminho
Anúncios