Colaboradores · História do Basquetebol · História do Esporte · Todos os posts

Palmeiras: um gigante também no basquete

Amigos do Basquetebol

Neste post trago um pouco da história de um dos gigantes do Basquetebol Brasileiro: a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Essa história nos é contada pelo jornalista e historiador Fernando Razzo Galuppo que tem o maior arquivo sobre o basquetebol alvi-verde. É uma história muito bonita repleta de fatos interessantes, títulos, grandes atletas e técnicos.

Vamos a ela.

O departamento de “bola ao cesto” da Sociedade Esportiva Palmeiras foi fundado em 1923, pelos associados Nicolino Spina e Estevam J. Stratta, os quais foram grandes pioneiros e mentores no desenvolvimento deste esporte, não apenas no seio do clube, mas em todo o país no início dos anos 20.

Este foi o segundo esporte coletivo a ser introduzido no clube, atrás apenas do futebol que já militava com grande prestígio no cenário esportivo.

No dia 24 de abril de 1924, a S.E. Palmeiras – que se chamava Palestra Itália – junto com C.A. Paulistano, Espéria, Associação Cristã de Moços e Associação Atlética São Paulo fundaram a Federação Paulista de Basquete, a fim de organizar as primeiras competições interclubes.

Oscar Paolillo e Estevam Stratta foram os primeiros atletas do Palestra Itália a vestirem a camisa da Seleção Paulista de Basquete em partida amistosa realizada em novembro de 1925.

Nestes primeiros  tempos, o Palmeiras firmou-se como a primeira grande dinastia do basquete, ao vencer sete títulos paulista em apenas oito anos de atividades deste esporte, possibilitando grande impulso e desenvolvimento para o esporte na década de 20 e 30.

Este feito fez com que em 1934 a equipe principal de basquete masculino do Palmeiras representasse o Brasil no campeonato sul-americano de seleções disputado em Buenos Aires, na Argentina, onde obteve a honrosa terceira colocação.

Em 1935 o Verdão tornou a representar a seleção brasileira no sul-americano de seleções disputado no Rio de Janeiro, possibilitando ao Palmeiras ser um dos únicos clubes no país a conseguir tal feito, ou seja, representar o país em competições internacionais.

Neste período, criou-se uma expressão popular entre os torcedores palmeirenses: “É com o pé, é com a mão, o Palestra é Campeão!!!”, em alusão aos feitos gloriosos das equipes de futebol e basquete que reinaram absolutas nas competições esportivas das quais tomavam parte.

Devido a Segunda Guerra Mundial na década de 40, a diretoria do Palmeiras, pressionada pelas forças governamentais e seus regulamentos e leis, se viu obrigada a adequar-se a uma nova realidade, relegando muitos esportes amadores que já gozavam de tradição e glórias, entre os quais o basquete. Isto atrasou o progresso do esporte no clube, mas não apagou a chama de seus adeptos.

Sua retomada ao primeiro escalão do basquete ocorreu no fim da década de 50 e início da década de 60, fruto de um trabalho árduo das diversas diretorias, perdurando num patamar de excelência esportiva até o início dos anos 80. Durante este período, venceu os principais títulos que disputou e revelou inúmeros atletas de destaque nacional.

Da década de 80 em diante, devido as transformações econômicas do país que afetaram diretamente a esfera esportiva, somado ao apoio restrito do setor privado, houve uma mudança de mentalidade na gestão do Basquete da S.E. Palmeiras,  focando-se suas atenções num trabalho intensivo nas categorias de base do clube, a fim de formar novos talentos para o esporte.

Atualmente, a equipe adulta masculina de basquete do Palmeiras disputa o Campeonato Paulista e o Novo Basquete Brasil.

ÍDOLOS

Grandes atletas nacionais e internacionais foram formados ou atuaram pelo Palmeiras nestes mais de 80 anos de atividades do basquete verde e branco. A seguir, uma breve relação destes grandes ídolos:

Oscar Américo Paolillo – década de 30 – foi o primeiro grande ídolo do Basquete Palmeirense que alcançou projeção nacional. Era o espelho de todo garoto que pensava em um dia ser jogador de basquete nos idos tempos. Sua contribuição e de sua família para o desenvolvimento deste esporte no Brasil é de um valor inestimável.

Milton Setrini Júnior “Carioquinha” – década de 60 – foi uma das principais revelações do basquete palmeirense. Craque de categoria insuperável e técnica indiscutível, foi um dos grandes responsáveis pelos títulos e conquistas nos anos 60 e 70, projetando o Palmeiras entre as principais equipes do país.

Oscar Daniel Bezerra Schmidt – década de 70 – uma das maiores revelações da história do basquete da S.E. Palmeiras e do esporte nacional, o “mão santa” Oscar é reconhecido pelo “Hall of Fame” do basquete internacional nos Estados Unidos como o melhor jogador sul-americano e por todos os brasileiros como um dos principais ídolos da modalidade. Ingressou na categoria infantil do Palmeiras em 1974 quando tinha apenas 16 anos. Entre tantos feitos, sagrou-se Campeão Brasileiro em 1977 pelo clube.

Leandro Barbosa – década de 90 – Leandrinho, jogador da equipe norte-americana  do Phoenix Suns e que hoje faz sucesso na NBA, principal liga de basquete no mundo, iniciou a sua carreira atuando nas fileiras do Palmeiras em 1999.

– Carioquinha, Laerte Gomes, Hélio Rubens, Mosquito, Rosa Branca, Vitor, Ubiratan, Peninha, Renzo, Edson Bispo, Paulinho Vilas Boas, Zé Geraldo, Edvar Simões, Walter de Souza, Jathyr, Menon, Guido, Ghermann, Gonzalez, Haddad, Paulinho Villas Boas, Chuí, Cadum, Marcel, Álvaro são outros tantos grandes nomes do esporte, que defenderam a equipe da Sociedade Esportiva Palmeiras ao longo dos tempos.

Aluíso “Lula” Ferreira trabalhou durante mais de uma década como treinador do Palmeiras revelando inúmeros talentos para o esporte brasileiro.

Moacir Biondi Daiuto, João Francisco Braz, Mario Amâncio, Wlamir Marques, Kanela são outros grandes treinadores que trabalharam no Palmeiras e que deixaram legados preciosos para o basquete nacional.

 TÍTULOS

O Departamento de Basquete do Palmeiras possui mais de 400 conquistas entre campeonatos, torneios e taças, nas mais diversas categorias desenvolvidas pelo clube nestes mais de 80 anos de atividade. Eis uma breve relação contendo as Principais Conquistas da S.E. Palmeiras na Categoria Masculina Adulta ao longo de sua existência:

Copa Interamericana de Basquete – 1974

Campeonato Brasileiro de Basquete Masculino – 1977

Campeão Copa Brasil Sudeste – 2012

Campeão do Torneio Rio São Paulo – 1933, 1958, 1959, 1962 (invicto)

Campeonato Paulista de Basquete Masculino

1928, 1929, 1931, 1932, 1933, 1934 (invicto), 1935, 1958, 1972, 1974 (invicto), 1975, 1976

Campeonato Estadual de Basquete Masculino – 1931, 1932, 1933, 1934, 1935, 1958, 1961, 1963, 1972, 1974

Campeonato Estadual de Basquete Masculino A-2 – 2011

Torneio Início do Campeonato Paulista de Basquete Masculino – 1930, 1931, 1933, 1934, 1935

Torneio de Preparação da FPB – 1943, 1958, 1960, 1963, 1964, 1968, 1972, 1973, 1976, 1977

Campeonato Popular de Basquete da Gazeta Esportiva – 1935

Torneio Jubileu de Prata de Londrina – 1958

Torneio Eficiência Delfino Facchina – 1960

Torneio Internacional Argentina-Uruguai – 1966

Torneio Afonso Paulino – 1967

Torneio de Aniversário da FPB – 1976

Palestra nos anos 30 - Foto do arquivo de Fernando Galuppo.
Palestra nos anos 30 – Foto do arquivo de Fernando Galuppo.
Anúncios

Um comentário em “Palmeiras: um gigante também no basquete

Os comentários estão fechados.