Opinião do autor · Todos os posts

Em época de Copa tem de tudo: palpites, implicações políticas, filosofia barata e até basquete

Amigos do Basquetebol

Por mais que alguns continuem a detestar, a Copa está aí. E com ele uma avalanche de assuntos relacionados ao evento e outra avalanche de assuntos que nada têm a ver com a Copa mas que muitos insistem em debitar na sua conta.

Um deles é a relação da Copa com nossa política. Todos sabem que nesta Copa foram cometidos muitos absurdos financeiros para a construção de estádios que, em sua maioria, não servirão para nada. Mas enganam-se aqueles (ou simplesmente ignoram) que querem fazer da Copa a grande vilã financeira do nosso país. Os estádios foram super faturado? Sim e muito. Mas e as obras da transposição do São Francisco? E a compra da refinaria de Pasadena? E o roubo do Mensalão? O que eles têm a ver com a Copa? Aconteceram muito antes dela surgir. Que fique claro: não sou a favor desses desmandos cometidos em nome do evento. Só acho injusto condenar a copa como a grande vilã dos absurdos cometidos neste país.

Outro assunto é a questão da relação dos resultados do Brasil na Copa com a melhora ou a piora das condições da educação, saúde, segurança e infra-estrutura do país. Nos meus 60 anos vivi, efetivamente, 11 copas antes desta. E, sinceramente, nunca vi o país melhorar ou piorar em função da Copa e dos resultados do Brasil. Neste período ganhamos 3 e perdemos 8. E daí? O que mudou? E a resposta é: nada. Isto porque no meu entender o problema não é a Copa ou o sucesso do Brasil no evento. O problema é que, enquanto tivermos políticos inúteis, desonestos e que não estão nem aí para a situação do país, o Brasil poderá ganhar todas as Copas que disputar, nada mudará.

E aí vem a velha ladainha que o futebol é o grande mal do país e que prejudica todos os esportes. Na minha opinião, ledo engano. Infelizmente, vivemos a monocultura do futebol. E isto não vai mudar. E como não vai mudar não adianta querer remar contra a maré. Temos que usar da inteligência para tentar alavancar os outros esportes, apesar do futebol. Sei que muitos serão contrários a esta minha posição, mas é a realidade.E é uma realidade mundial. Acontece na maioria dos países. Tanto é verdade que a própria FIBA já alterou as datas dos próximos mundiais para fugir da concorrência do futebol.

E no meio disto tudo temos até o basquetebol. Nossa seleção começa os preparativos para o Sulamericano e, posteriormente, para a Copa do Mundo. Temos que torcer para que nossos atletas (masculino e feminino) estejam muito bem preparados para enfrentar essas pedreiras. Que eles possam nos representar dignamente (não necessariamente com o título, pois isto é uma tarefa muito árdua) para que o basquetebol venha a recuperar seu prestígio e ocupar um pedacinho a mais na vida dos brasileiros.

Independentemente do futebol.

 

Anúncios