Jogos Pan-Americanos · Mundial Masculino · Opinião do autor · Todos os posts

Sul Americano Masculino

Amigos do Basquetebol

Dia 24 começa o Sul Americano masculino que será realizado na Venezuela. O torneio é classificatório para os Jogos Pan Americanos do Canadá, em 2015.

O Brasil está na chave A junto com Argentina, Paraguay e Equador. A chave B é composta por Venezuela, Uruguay, Peru e Chile. Os dois primeiros classificados de cada chave disputam as finais e os três melhores classificados estarão no Pan.

A princípio não deverá ocorrer nenhuma surpresa e Brasil, Argentina, Uruguay e Venezuela deverão disputar as três vagas. Evidentemente que esperamos que o Brasil esteja entre os três e não repita o grande vexame do último pré mundial quando conseguimos perder até da Jamaica.

O Brasil estreia dia 24 contra o Paraguay e depois enfrenta o Equador (dia 25) e Argentina (dia 26).

Nossa equipe foi montada obedecendo uma mescla de experiência e novos valores. Possivelmente alguns desses atletas estarão compondo o grupo que treinará para o mundial.

Particularmente acho que alguns atletas mais jovens deveriam estar nesta seleção para que comecem a ter vivência em competições internacionais. Mas devemos compreender que em se tratando de um torneio classificatório para o Pan, somente a juventude poderia nos colocar em uma situação bastante difícil. Assim sendo, contar com atletas que já tiveram a oportunidade de disputar mundiais e jogos olímpicos como Raulzinho, Rafael Hettsheimer, Augusto Lima, Benite e Rafa Luz é muito importante.

Assim como contar com atletas que se destacaram nas competições nacionais e são protagonistas em suas equipes também merece destaque como é o caso do Olivinha, Mineiro, Arthur e Jefferson.

Mas o que mais me agradou nesta convocação foi a oportunidade dada a jovens valores oriundos da LDB e que poderão mostrar seu valor nesta competição. Refiro-me a Gegê, Leo Mendl e Cristiano Felício (sem falar em Ricardo Fischer que se contundiu nos treinamentos).

Seria muito bom se esses atletas pudessem também treinar com o grupo do mundial, mesmo não tendo as mesmas chances daqueles que já estão lá e praticamente estão garantidos para a Copa do Mundo (salvo possíveis imprevistos como contusões e os velhos problemas com  a NBA).

Continuo acreditando no nosso basquetebol e no sucesso dessas equipes em ambas as competições. Com o trabalho que está sendo planejado e executado nossas chances de irmos bem é muito grande.

Lembrando que o mundo do basquetebol é muito diferente de outros esportes, onde somente duas ou três equipes se destacam. No nosso esporte temos, pelo menos, dez grandes forças que lutam pelas melhores posições (e aqui cito EUA, Espanha, Argentina, Lituânia, França, Grécia, Sérvia, Eslovênia – sem falar em Rússia e Turquia que estão fora da Copa do Mundo). E a diferença entre um primeiro lugar e um décimo lugar pode passar pela atuação (boa ou má) em um jogo de mata-mata.

Enfim, chegou a hora de voltarmos todas as nossas atenções para nossas seleções e torcer muito pelo sucesso de nossos atletas e comissão técnica.

Afinal vivemos pelo e para o Basquetebol.

Anúncios