Mundial Masculino · Todos os posts

Copa do Mundo: 2a rodada

Amigos do Basquetebol

Hoje aconteceu a segunda rodada da Copa do Mundo.

Resultados

GA:

Sérvia 73 x 74 França: jogo espetacular. Duas equipes que privilegiaram o jogo coletivo com trocas de passes muito efetivas. O jogo foi equilibrado durante todo o tempo. A França empatou faltando menos de 30 segundos. A Sérvia não conseguiu converter seu ataque e na defesa cometeu uma falta duvidosa faltando 1.4.  Lauvergne, que foi o destaque frances (19 pts e 6 rebotes) acertou o primeiro lance-livre e errou o segundo para colocar a bola em jogo e haver disputa de rebote.  

Brasil x Iran: O Brasil teve um primeiro quarto ruim, mas recuperou-se no segundo quarto e manteve a intensidade conseguindo uma vitória tranquila. O técnico Magnano utilizou todos os jogadores dando tempo de quadra para alguns que não têm atuado tanto. Vitória esperada mas importante para a sequência do campeonato. Amanhã enfrentaremos a Espanha.  – 

Números do jogo

2pts – Brasil (27/44 – 61%) ; Iran (18/42 – 43%)

3pts – Brasil (5/15 – 33%); Iran (3/14 – 21%)

L.Livres – Brasil (10/15 – 67%); Iran (5/9 – 56%)

Rebotes – Brasil – 35; Iran – 30

Assists – Brasil – 14; Iran – 9

B.Perdidas – Brasil – 19; Iran – 24

B.Recuperadas – Brasil – 17; Iran – 11

Espanha x Egito: resultado será divulgado amanhã

GB: Argentina 85 x 92 Croácia; Senegal 82 x 75 P.Rico; Filipinas x Grécia (resultado será divulgado amanhã)

GC: R.Dominicana 76 x 63 N.Zelândia; Finlândia 81 x 76 Ucrânia; Turquia x EUA (resultado será divulgado amanhã)

GD: Coreia 55 x 89 Austrália; Eslovênia 89 x 68 México; Lituânia x Angola (resultado será divulgado amanhã)

 

Anúncios
Mundial Masculino · Todos os posts

E começou a festa do Basquetebol

Amigos do Basquetebol

Começou o maior evento do Basquetebol Mundial.

Granada recebe o grupo A, onde está o Brasil. O ambiente é o melhor possível. E mais uma vez tenho o privilégio de acompanhar do vivo este evento.

Diariamente publicarei post sobre a rodada envolvendo todas as equipes. Lembrando também que a cada dois dias escreverei a coluna “Dante na Copa” pelo http://www.lnb.com/território/

Na rodada de hoje tivemos os seguintes jogos

GA

Egito 64 x 85 Sérvia – a Sérvia não teve nenhuma dificuldade em impor o seu jogo. Uma equipe muito forte fisicamente, com muitas opções de trocas, o que manteve a intensidade do jogo dos sérvios. Destaque para Teodosic (15pts) e Bircevic (9 rebotes).

Brasil 65 x 63 França: O baixo aproveitamento nos arremessos, inclusive os lances livres foi um dos fatores abordados na entrevista coletiva pelo técnico Magnano e pelo atleta Marcelinho Huertas. Mas ambos ressaltaram a melhora defensiva no segundo tempo e o fato do Brasil ter tido paciência e controlado o jogo nos momentos decisivos. Huertas ressaltou a atuação de seu substituto imediato, Raulzinho, afirmando que é muito importante que o Brasil tenha atletas preparados para enfrentar situações difíceis.

Os números do jogo:

2pts – BRA (18/45 – 40%); FRA (16/33 – 48%)

3 pts – BRA (5/16 – 31%); FRA (6/19 – 32%)

L.Livres – BRA (14/24 – 58%); FRA (13/16 (81%)

Rebotes – BRA – 42; FRA – 30

Assists – BRA – 9; FRA – 9

B.Perdidas – BRA – 11; FRA – 16

B.Recuperadas – BRA – 8; FRA – 5

Espanha 90 x 60 Iran: como era de se esperar, a Espanha não teve nenhuma dificuldade em superar o Iran. Equipe muito forte e equilibrada. As trocas não alteraram o ritmo da equipe. Lembrando que Felipe Reyes e Ibaka não atuaram por estarem se recuperando de lesão.

GB – Croácia 81 x 78 Filipinas; Porto Rico 75 x 98 Argentina; Grécia 87 x  64 Senegal

GC – Ucrânia 72 x 62 R.Dominicana; N.Zelândia 73 x 76 Turquia; EUA 114 x 55 Finlândia

GD – Angola 80 x  69 Coreia; Austrália 80 x 90 Eslovênia; México 74 x  87 Lituânia

Destaques da rodada:

Cestinhas – Pau Gasol (Espanha) – 33 pts

Reboteiro – Blatche (Filipinas) – 12

Assists – Alapag – 6

Amanhã pelo grupo do Brasil teremos: 10h30 – França x Sérvia; 13h00 – Brasil x Iran; 17h00 Espanha x Egito (todos horários de Brasília)

Brasil comemora a primeira vitória na Copa do Mundo
Brasil comemora a primeira vitória na Copa do Mundo

 

 

Estatísticas · Mundial Masculino · Todos os posts

Copa do Mundo de Basquetebol Masculino: análises e opiniões

Amigos do Basquetebol

Faltam 6 dias para o início da Copa do Mundo de Basquetebol. Muitas são as análises, especulações sobre as equipes. Na maioria delas, Estados Unidos e Espanha aparecem como os prováveis finalistas com alguma vantagem para os norte-americanos.

Lituânia, França, Brasil, Argentina, Austrália, Eslovênia e Sérvia aparecem como equipes que também podem fazer parte do pelotão de elite. Coreia, Iran, Egito e Filipinas são favas contadas em relação à desclassificação logo na primeira fase.

Para ilustrar um pouco esse quadro, trago neste post uma análise uma enquete sobre a Coba do Mundo de Basquetebol Masculino. A análise é da conceituada ACB (Associación de Clubs de Baloncesto da Espanha) e a enquete expressa a opinião de amigos basqueteiros e que acompanham este blog.

ACB 

A ACB elaborou uma possível classificação das equipes na Copa do Mundo que será realizada a partir de 30 de agosto. (veja a análise de cada equipe – http://www.acb.com/campeonato_equipo.php?id=89)

Nesta análise Egito, Nova Zelândia, Ucrânia, Angola, Coreia e Iran deverão ser os desclassificados já na primeira fase.

Sérvia, Croácia, Grécia, Porto Rico, República Dominicana, Finlândia, Turquia e México deixarão o Campeonato nas oitavas.

Assim sendo, Estados Unidos, Espanha, Brasil, Argentina, França, Lituânia, Austrália e Eslovênia lutarão pelas vagas nas semifinais que terão os seguintes países: Estados Unidos, Espanha, França e Lituânia, e a classificação final será nesta mesma ordem.

Pela ACB o Brasil será o quinto colocado, Argentina sexto, Austrália sétimo e Eslovênia oitavo.

A opinião de basqueteiros

Convidei amigos seguidores deste blog (técnicos, atletas, jornalistas, dirigentes e aficionados) para dar sua opinião sobre as quatro equipes que chegariam às finais, a classificação dessas equipes bem como a classificação do Brasil. Sessenta e seis pessoas responderam ao questionamento. Eis os resultados:

– Os quatro times mais votados para ficar entre os 4 foram: EUA (66 votos), Espanha (63), Brasil (41) e Lituânia (32). Outros times votados: França (29), Argentina (13), Sérvia (8), Eslovênia (5), Turquia (3), Grécia e Croácia (2) e Austrália (1)

– Os votos para a classificação final foram os seguintes (1o. – 2o. – 3o. – 4o. lugar): Estados Unidos (51 – 12 – 3 – 0), Espanha (14 – 44 – 5 – 0), França (1 – 18 – 10 – 0), Brasil (0 – 6 – 22 – 13), Lituânia (0 – 2 – 10 – 20), Argentina (0 – 1 – 2 – 10), Sérvia (0 – 0 – 3 – 5), Eslovênia (0 – 1 – 1 – 3), Turquia (0 – 0 – 0 – 3), Grécia (0 – 0 – 2 – 0), Croácia (0 – 0 – 0 – 2) e Austrália (0 – 0 – 0 – 1)

– A final mais votada foi Estados Unidos x Espanha com 44 votos para a vitória dos Estados Unidos e 11 para a Espanha. Outras finais votadas: EUA x Brasil (4), Espanha x Brasil (2), EUA x Argentina, EUA x Eslovênia, EUA x Lituânia, EUA x França e Espanha x Lituânia (1 voto cada). * Pelos cruzamentos as finais Estados Unidos x Lituânia, Estados Unidos x Eslovênia e Espanha x Brasil não acontecerão

– Além dos votos que apontaram o Brasil entre os quatro primeiros colocados, nossa seleção também recebeu 7 votos para o 5o. lugar, 2 para o 6o., 5 para o 7o., 3 para 8o., 1 para 5o.-6o., 3 para 5o.-8o., 1 para 6o.-8o. e 3 para 9o.-16o.

Agora é esperar e torcer para que o Brasil possa chegar longe e resgatar a tradição do nosso país nesse maravilhoso esporte.

#Spain2014

Brasil - rumo ao sucesso
Brasil – rumo ao sucesso

 

 

 

 

 

 

História do Basquetebol · Mundial Masculino · Todos os posts

Copa do Mundo de Basquetebol Masculino: grupo D

Amigos do Basquetebol

Agora é o momento de analisar o último grupo da Copa do Mundo. O Grupo D é formado por Angola, Austrália, Coreia, Lituânia, México e Eslovênia. Em minha opinião é o grupo mais fraco onde deverão se destacar Austrália, Lituânia e Eslovênia. Acredito que México e Angola brigarão pela quarta vaga.

Títulos

Nenhuma equipe do Grupo D teve a oportunidade de obter um título mundial. O melhor resultado entre as equipes do grupo foi o terceiro lugar da Lituânia no Mundial de 2010 na Turquia.

Vagas

Os países deste grupo obtiveram a vaga para a Copa do Mundo da seguinte maneira: Angola (1o. da África); Austrália (1o. da Oceania); Coreia (3o. da Ásia); Lituânia (2o. da Europa), México (2o. das Américas) e Eslovênia (5o da Europa).

Participações, vitórias/derrotas, colocação em 2010 e ranking da FIBA

Angola: 6; 12/29; 15o; 15o

Austrália: 10; 32/42; 10o.; 9o

Coreia: 6; 9/32; np; 31o.

Lituânia: 3; 18/9; 3o.; 4o.

México: 4; 15/14; np; 24o.

Eslovênia: 2; 7/8; 8o.; 13o.

 Confrontos

Neste grupo os seguintes confrontos aconteceram em Mundiais (v/d; último confronto; resultado)

Angola x Austrália: 1/1; 2010; 55 x 76

Angola x Coreia: 1/1; 1994; 71 x 75

Austrália x Coreia: 1/1; 1994; 87 x 85

Austrália x Lituânia: 1/1; 2006; 57 x 78

Austrália x México: 0/1; 1974; 84 x 85

Austrália x Eslovênia: 0/1; 2010; 58 x 87

Coreia x Lituânia: 0/1; 1998; 56 x 97

Equipes e seus destaques

Angola: média de idade – 28 anos. Angola tem sido presença constante nos mundiais como um dos representantes da África. Conta com dois jogadores com muita experiência, Mingas e Cipriano mas nenhum jogador atua fora do país. Deve brigar pela última vaga do grupo.

Austrália: média de idade – 26 anos. Apesar da ausência de Mills, destaque na conquista do San Antonio, a Austrália se apresenta como uma das equipes que poderá seguir muito adiante na Copa do Mundo. Quatro atletas da NBA (Bairstow – Chicago; Baynes – S.Antonio; Dellavedova – Cleveland e o jovem destaque Exum – Utha) e dois dos prinicpais atletas que atuam na Euroliga (Ingles – Macabbi e Jawai – Galatasaray) fazem desta equipe uma força desta Copa do Mundo.

Coreia: média de idade – 29 anos. Pouco a se falar desta equipe. Nenhum destaque. Todos os atletas jogam em seu país. É uma das equipes mais baixas da Copa do Mundo (média de 1,96m). Deve cair na primeira fase.

Lituânia: média de idade – 27 anos. Sempre forte e postulante ao título. O jovem Jonas Valanciunas (Toronto Raptors) é seu grande destaque. Mas a equipe também possui excelentes atletas que atuam na Europa como Jankunas (Khimki Moscou), Kalniets (Lokomotiv), Lavrinovic (Ucrânia) e Pocius (Galatasaray). A Lituânia é garantia de bom basquetebol além de ter a torcida mais pitoresca e animada da competição.

México: média de idade – 27 anos. Apesar de ser a equipe mais baixa da competição (1,95m), o México poderá surpreender e obter a quarta vaga do grupo. Sua participação na Copa América (onde se tornou campeã) a coloca como uma das prováveis surpresas da Copa do Mundo. Três atletas se destacam nesta equipe: Ayon (Atlanta Hawks), Gutierrez (Brooklin Nests) e o excelente armador Stoll que atua na Venezuela.

Eslovênia: média de idade – 26 anos. A Eslovênia vem em uma curva ascendente no basquetebol mundial. Os últimos resultados (Mundial e Euro) a colocam como uma das grandes forças da Copa do Mundo. Os irmãos Dragic (Goran e Zoran) são os destaques e tiveram importante participação na classificação da Eslovênia. Além deles mais dois atletas merecem atenção: Lorbek (Barcelona) e Slokar (Estudiantes). Time forte e que vai dar muito trabalho.

História do Basquetebol · Mundial Masculino · Todos os posts

Copa do Mundo de Basquetebol Masculino: grupo C

Amigos do Basquetebol

O próximo grupo a ser analisado é o Grupo C que terá os seguintes países: Estados Unidos, Finlândia, Nova Zelândia,  República Dominicana, Turquia e Ucrânia. Este grupo que jogará em Bilbao,  enfrentará os classificados do grupo D (Angola, Austrália, Coreia, Lituânia, México e Eslovênia). Duas vagas estão garantidas, na minha opinião: Estados Unidos e Turquia (final do Mundial de 2010). As duas vagas restantes serão disputadas de forma muito equilibrada, sendo difícil apontar dois candidatos.

Títulos

Dentre os componentes do grupo B somente os Estados Unidos tiveram a oportunidade de subir ao lugar mais alto do pódium (4 vezes). A Turquia foi prata em 2010 e os demais nunca tiveram participação destacada.

Vagas

Os países deste grupo obtiveram a vaga para a Copa do Mundo da seguinte maneira: Estados Unidos (Campeão Olímpico), Finlândia (convite), Nova Zelândia (2o. da Oceania), República Dominicana (3o. das Américas), Turquia (convite) e Ucrânia (6o. da Europa).

Participações, vitórias/derrotas, colocação em 2010 e ranking da FIBA

Estados Unidos: 16; 114/27; 1o. 10.

Finlândia: nunca participou de mundiais – 39o. do ranking da FIBA

Nova Zelândia: 4; 10/16; 12o.; 19o.

Rep. Dominicana: 1; 2/5; np; 26o.

Turquia: 3; 18/8; 2o. 7o.

Ucrânia: nunca participou de mundiais – 45o. do ranking da FIBA

 Confrontos

Este é o grupo com o menor número de confrontos já realizados em todos os tempos em mundiais. Somente três confrontos aconteceram:

Estados Unidos x Rep. Dominicana: 1/0; 1978 – 104 x 65

Estados Unidos x Nova Zelândia: 1/0; 2002; 110 x 62

Estados Unidos x Turquia: 1/0; 2010; 81 x 64

Equipes e seus destaques

Estados Unidos: média de idade -24 anos. Ao lado da Espanha é sempre o grande favorito. Apesar de ainda não ter definido a equipe e de ter perdido seus maiores astros por solicitação de dispensa, a lista dos 16 atletas pré-relacionados apresenta uma mescla de grandes estrelas e atletas que, apesar de muita qualidade, ainda não são os protagonistas da Liga Norte Americana. Destaque para James Harden e Derek Rose (este único remanescente da campanha de 2010).

Finlândia: média de idade – 29 anos. A equipe foi a grande surpresa dos convites feitos pela FIBA. Nono colocado na Euro, a Finlândia é uma equipe que pode surpreender e obter uma das vagas. Seus destaques são os atletas Erik Murphy (Utah Jazz) e Koponem (Khimki – Rússia)

Nova Zelândia: média de idade – 27 anos. Com um time sem grandes estrelas a Nova Zelândia brigará por uma das vagas do grupo. Não há destaques pois os atletas da equipe jogam em clubes do próprio país, da Austrália e em algumas universidades americanas.

República Domincana: média de idade – 30 anos. Equipe experiente e com grandes chances de classificação. Fez um excelente pré-mundial das Américas e conta com atletas que atuam na Espanha (Baez, Vargas e Feldeine), na NBA (Francisco Garcia – Houston Rockets), no Brasil (Ronald Ramon – Limeira e Quesada – S.José) além do excelente pivô Jack Martinez.

Turquia: média de idade – 27 anos. A Turquia apesar de ter feito uma péssima campanha na Euro (17o.) pode ser considerada como uma das classificadas deste grupo. Com uma equipe muito remodelada, conta com atletas muito experientes e que disputam a Euroliga por equipes importantes da Turquia (Tunceri, Osman, Arslan e Akyol) além de Kunter que atua pelo Utah Jazz.

Ucrânia: média de idade – 25 anos. Uma verdadeira incógnita. Sem atletas de destaque no cenário internacional entrará na briga pela quarta vaga. Um único jogador, Kravtsov atua na NBA (Phoenix Suns).

História do Basquetebol · Mundial Masculino · Todos os posts

Copa do Mundo de Basquetebol Masculino: grupo B

Amigos do Basquetebol

Neste post analisaremos o Grupo B que será disputado em Sevilla e classificará os quatro países que cruzarão com o grupo A (do Brasil).

O GB terá os seguintes países: Argentina, Croácia, Grécia, Porto Rico, Filipinas e Senegal. Certamente os quatro primeiros estarão na fase seguinte. Filipinas e Senegal terão poucas chances de conseguir uma das vagas deste grupo.

Títulos

Dentre os componentes do grupo B somente a Argentina tem um título de campeão Mundial (1950 no campeonato disputado na própria Argentina). A Grécia foi vice campeã em 2006 quando perdeu a final para a Espanha.

Vagas

Os países deste grupo obtiveram a vaga para a Copa do Mundo da seguinte maneira: Argentina (campeão da América), Croácia (4o na Euro), Grécia (convidado), Filipinas (vice da Ásia), Porto Rico (vice das Américas) e Senegal (3o. da África).

Participações, vitórias/derrotas, colocação em 2010 e ranking da FIBA

Argentina: 12; 54/43; 5o.; 3o.;

Croácia: 2; 9/5; 14o.; 16o.

Grécia: 6; 29/21; 11o.; 5o.

Filipinas: 4; 12/18; np; 34o.

Porto Rico: 12; 37/51; 18o.; 17o.

Senegal: 3; 2/15; np; 41o.

 Confrontos

Neste grupo B seis confrontos nunca aconteceram em Mundiais: Argentina x Croácia; Croácia x Filipinas, Croácia x Porto Rioco, Croácia x Senegal e Filipinas x Senegal.

Os demais confrontos apresentam a seguinte situação (v/d e último confronto)

Argentina x Grécia: 0/2; 1990 – 88×102

Argentina x Filipinas: 1/0; 1974 – 111 x 90

Argentina x Porto Rico: 0/1; 1990 – 76 x 92

Croácia x Grécia: 2/0; 1994 – 78 x 60

Grécia x Porto Rico: 2/1; 2010 – 83 x 80

Grécia x Senegal: 1/0; 1998 – 68 x 57

Porto Rico x Senegal: 2/0; 2006 – 88 x 79

Porto Rico x Filipinas: 1/0; 1959 – 76 x 63

Equipes e seus destaques

Argentina: média de idade – 29 anos. Mesmo com o já anunciado desfalque de Manu Ginobili, a Argentina virá forte na Copa do Mundo com seus veteranos Scola, Nocioni, Gutierrez e Prigioni. Além deles a presença de Campazzo, Mata, Delia e provavelmente o “flamenguista” Laprovitola dão a Argentina o status de equipe que lutará pelas melhores colocações nesta Copa do Mundo.

Croácia: média de idade – 26 anos. A equipe Croata tenta despontar no cenário mundial trazendo em seu elenco dois atletas NBA – Bogdanovic e Rudig e ótimos valores que atuam no basquetebol europeu como Saric, Planinic, Ukic e Zoric. Mas, sem dúvidas, o grande destaque é o pivô Tomic (do Barcelona) que fez parte da seleção da última Euroliga de Clubes.

Filipinas: média de idade – 30 anos. Apesar de te um atleta NBA (Blatche), esta equipe terá poucas chances de classificação para a fase seguinte. Seus jogadores atuam em campeonatos de menor expressão ou em universidades americanas de segunda linha.

Grécia: média de idade – 27 anos. Com o desfalque de seu maior armador – Spanoulis (ele não consta da pré lista enviada para a FIBA) e do veterano Diamantidis, a Grécia é sempre uma equipe a ser observada pela qualidade de seus atletas, principalmente Bouroussis (Real Madrid), Papanikolao (Barcelona), Printezis e Sloukas. Deve se classificar para a fase seguinte mas acho que não seguirá muito longe.

Porto Rico: média de idade – 28 anos. Como sempre uma incógnita. Capaz de realizar partidas memoráveis e outras medíocres. Baseia seu jogo na qualidade do trio Arroyo, Balkman e Barea. Também classifica-se mas não segue muito adiante.

Senegal: média de idade – 28 anos. Assim como Filipinas, o Senegal não oferecerá grande oposição aos seus adversários. Nenhum atleta a merecer destaque.

 

História do Basquetebol · História do Esporte · Todos os posts

EEFE USP – 80 anos de glórias (2): a contribuição para o esporte

Amigos do Basquetebol

Neste segundo post sobre os 80 anos da Escola de Educação Física e Esporte da USP escreverei sobre a magnífica contribuição da instituição para o esporte nacional.

Desde suas origens a então ESEP (Escola Superior de Educação “Physica”) teve em seus quadros grandes expoentes do esporte nacional. Foram atletas, árbitros e dirigentes que se destacaram nas mais diferentes competições nacionais e internacionais.

Seria impossível neste espaço (e também pela dificuldade de encontrar dados e pelas falhas de memória) enumerar todos a queles que fizeram parte deste quadro de destaques esportivos. Mas mesmo assim vou tentar, contando sempre com a colaboração dos meus leitores (principalmente os EEFEUSPIANOS) que poderão me corrigir e/ou enviar nomes que ficaram esquecidos neste texto.

Dentre tantos atletas nada mais justo que destacar nossa maior nadadora, Maria Lenk. A primeira mulher brasileira a participar dos Jogos Olímpicos (1932) fez parte da primeira turma da ESEP (1934).

Dentre os técnicos, não há como deixar de lembrar do primeiro medalhista olímpico em esportes coletivos (Basquetebol – 1948) o nosso eterno mestre Prof. Moacyr Daiuto que também fez parte da primeira turma da ESEP, tornando-se posteriormente docente e diretor da instituição. Ressalto que o basquetebol terá um capítulo especial nessa viagem histórica.

Outros grandes nomes fizeram parte da Escola de Educação Física e Esporte da USP como alunos (graduação, pós e especialização) e docentes competindo em Jogos Olímpicos, Pan Americanos, Mundiais e Sul Americanos. Tentarei aqui lembrar de alguns e suas modalidades:

Atletismo: Sylvio de Magalhães Padilha, Jarbas Gonçalves, Aluisio de Queiroz Telles, Valdir Barbanti, Nelson Prudêncio (medalhas de prata e bronze nos Jogos Olímpicos de 1968 e 1972, respectivamente).

Box: Luiz Carlos Fabre

Canoagem: Carlos Bezerra de Albuquerque

Esgrima: Roberto Lazarini

Futebol: José de Souza Teixeira, Mário Miranda Rosa, Brida

Ginástica Olímpica: Nestor Soares Públio, Yumi Yamamoto e Kenichi Tosaki

Handebol: Jamil André, José Luiz Vieria, Santo Baldacim, Lima Rosa e Antonio Carlos Simões

Judô: Carlos Catalano Caleja, Vânia Ishi e Douglas Vieira (Medalha de Prata nos Jogos Olímpicos de Barcelona, 1984)

Polo Aquático: Cláudia Graner

Nado Sincronizado: Andrea Cury

Natação: Maria Lenk

Voleibol: Antonio Carlos Moreno, Marcelo Pimenta, Cacá Bizzocchi, Valderbi Romani e Hélio Silveira

Esporte Paralímpico: Rui Marques

Além desses atletas, técnicos e árbitros tivemos a presença marcante de dois médicos que prestaram muitos serviços ao esporte nacional: Mário Pini e Rubens Rodrigues.

Especificamente no basquetebol, a EEFE também se notabilizou por contribuir para as diferentes competições (Sul Americanos, Pan Americanos, Mundiais e Jogos Olímpicos) com grandes atletas, técnicos e preparadores físicos. Desta lista fazem parte alunos dos cursos de graduação, pós graduação, especialização e medicina esportiva, docentes e dirigentes da EEFE.

Entre os atletas cito:

Alberto Marson-bronze nos Jogos Olímpicos de 1948 e bronze no Pan Americano de 1951; Vice Campeão Sul Americano em 1949 – aluno de graduação

Amaury Pasos – campeão Mundial em 1959 e 1963; Bronze nos Jogos Olímpicos de 1960 e 1964, vice no Pan Americano de 1963; Tetra Campeão Sul Americano em 1958, 1960, 1961 e 1963 – aluno de graduação

Arilza Coraça – Campeã do Sul Americano em 1974 – aluna de graduação

Edson Bispo dos Santos – Campeão Mundial em 1959 e Medalhista de Bronze nos Jogos Olímpicos de 1960 e 1964 – aluno do curso técnico em basquetebol

José Aparecido dos Santos – Joy –  Atleta Olímpico em 1968 e 1972, Campeão Pan Americano em 1971, Bi-Campeão Sul Americano em 1971 e 1973, Vice Campeão Mundial em 1970) – aluno de graduação

José Edvar Simões (Atleta Olímpico em 1964, 1968 e 1972, Medalha de Bronze nos Jogos Olímpicos de 1964, Vice Campeão Mundial em 1970, Vice Campeão Sul Americano em 1966) – aluno de graduação

Marcel de Souza (Atleta Olímpico em 1980, 1984, 1988 e 1992, Campeão Pan Americano de 1987, Bronze no Mundial de 1978, Campeão Sul Americano em 1977 e 1983 – aluno do Curso de Medicina Esportiva

Ruth Queiroz Telles –  Vice Campeã do Sul Americano em 1946 – aluna de graduação

Wilson Bombarda – Bronze nos Pan Americanos de 1955 e 1959 – aluno de graduação

Entre os técnicos e assistentes técnicos:

Aluisío Elias Xavier Ferreira  – Bi Campeão Pan Americano 2003 e 2007, Campeão Sul Americano em 2003 – aluno de graduação, do curso de especialização em Basquetebol e Mestrado; docente na disciplina basquetebol

Edson Bispo dos Santos – Campeão Pan Americano em 1971 –  aluno do curso técnico em basquetebol

José Alves Neto – Assistente Técnico nos Jogos Olímpicos de 2012 e no Mundial de 2010, Bi Campeão Brasileiro e Campeão da Liga das Américas pelo C.R. Flamengo – aluno de graduação e monitor da disciplina Basquetebol

José Edvar Simões – Campeonato Mundial de 1982 – aluno de gradução

José Medalha – Técnico Olímpico em 1992, Campeão Pan Americano – 1987, Vice Campeão Sul Americano em 1991 – aluno de graduação e mestrado; docente da disciplina Basquetebol; docente do Curso de Especialização em Basquetebol; Chefe do Departamento Técnico Desportivo (atual Dep. de Esporte)

Moacyr Daiuto – Bronze nos Jogos Olímpicos de 1948; Campeão Mundial em 1963 – aluno de graduação; docente da disciplina Basquetebol; docente do curso de Especialização em Basquetebol; Diretor da EEFE

Pedro Murilla Fuentes (Pedroca) – aluno de graduação

Sérgio Maroneze – Campeão Mundial Feminino em 1994 e Medalha de Prata nos Jogos Olímpicos de 1996 – aluno do curso de Especialização em Basquetebol

Waldir Pagan Perez – Campeão Mundial Feminino em 1994, Medalha de Prata nos Jogos Olímpicos de 1996, bronze no mundial Feminino de 1971 – aluno do Mestrado; docente do curso de Especialização em Basquetebol

Entre os preparadores físicos:

Clóvis Vitah Hadad – preparador física da seleção feminina e várias vezes campeão paulista e brasileiro pela equipe feminina de Americana – aluno de graduação

Valdir Barbanti –vice campeão Pan Americano – aluno de graduação e mestrado; docente dos cursos de especialização e mestrado; Chefe do Departamento de Esporte e Diretor da EEFE

Também não posso deixar de mencionar a presença marcante de alunos e ex- alunos atuando como voluntários em competições internacionais e muitos deles exercendo cargos  em Federações, Secretarias de Esportes, Comitê Olímpico Brasileiro, UEFA, FIFA e outras instituições importantes no cenário nacional e internacional. Bem como aqueles que trabalharam e ajudaram a desenvolver a estatística no basquetebol brasileiro atuando em grandes eventos nacionais e internacionais.

Maria Lenk - primeira mulher brasileira a disputar os Jogos Olímpicos
Maria Lenk – primeira mulher brasileira a disputar os Jogos Olímpicos
Amaury enfrenta o americano Gibson
Amaury Pasos – dois títulos mundiais e duas medalhas de bronze em Jogos Olímpicos

 

Daiuto - medalha de Bronze em Londres - 1948 - o Mestre de todos nós
Daiuto – medalha de Bronze em Londres – 1948 – o Mestre de todos nós