Mundial Feminino · Todos os posts

Mundial Feminino: quem vamos enfrentar

Amigos do Basquetebol

Depois de amanhã (27-09) começa o Mundial Feminino.

O Brasil que está no grupo A irá enfrentar Rep. Tcheca (27), Espanha (28) e Japão (30).

Lembrando que o campeão do grupo estará automaticamente classificado para as quartas de finais. O segundo e terceiro colocados enfrentarão, repsectivamente, o terceiro e segundo colocados do grupo B (Canadá, França, Moçambique e Turquia).

O Brasil classificou-se para o Mundial por ter sido o terceiro colocado na Copa América. Sua média de idade é de 25 anos e a média de estatura é 1,80m. A média do campeonato é de 26 anos e 1,82m.

Já participamos de 15 mundiais e somos um dos quatro países que tiveram a honra de obter o título. Isto foi em 1994 com uma brilhante geração de atletas (Paula, Hortência, Janeth, Helen, Adriana, Alessandra, Leila, Cintia Tuiu, Dalila, Roseli, Ruth e Simone Pontello) sob o comando de Miguel Ângelo da Luz, tendo como assistente Sérgio Maroneze, preparador físico Hermes Balbino e supervisor, o inesquecível Waldir Pagan Perez.

Além deste título obtivemos o Bronze em 1971, quando o campeonato foi realizado em São Paulo com memoráveis partidas no Ibirapuera. Naquela ocasião o Brasil contava com atletas que fizeram parte de uma equipe também inesquecível por sua qualidade e raça. Atletas como Norminha, Delcy, Elzinha, Maria Helena, Heleninha, Laís, Nilza, Benedita, Jacy, Nadir Bazzani, Odila e Marlene e sob o comando do Prof. Waldir, mostraram ao Brasil a força do nosso feminino.

Em Campeonatos Mundiais, o Brasil já disputou 111 jogos com 60 vitórias e 51 derrotas (aproveitamento de 54,1%).

A Espanha já participou de 5 mundiais e seu melhor resultado aconteceu em 2010 quando foi medalha de bronze. Disputou  44 partidas com 24 vitórias e 20 derrotas. No confronto direto Brasil e Espanha se enfrentaram 4 vezes com 3 vitórias espanholas. Nossa média contra a Espanha é de 70,8 pts a favor e 75,3 pts contra. A última partida aconteceu em 2010 com vitória espanhola por 69 x 57. Classificou-se como Campeã da Europa. Média de idade: 26 anos; média de estatura: 1,82m.

A Rep. Tcheca, depois da divisão da Tchecoslováquia, participou pela primeira vez de um mundial em 2006. Em 2010 foi vice-campeã. Disputou 18 partidas com 11 vitórias e 7 derrotas. Brasil e Rep. Tcheca se enfrentaram 2 vezes, com uma vitória cada. A última em 2010 com vitória Tcheca por 70 x 84. Nossa média é de 72,5 x 77,5. Obteve a classificação por ter sido a 6a. colocada na Euro. Média de idade: 26 anos; média de estatura: 1,86m.

O Japão, nosso maior freguês em mundiais (7 vitórias em 8 jogos) já participou de 10 campeonatos fazendo 79 partidas com 30 vitórias e 49 derrotas. Sua melhor colocação foi o segundo lugar no Mundial de 1975. Nossa média de pontos contra as japonesas é de 80,6 x 73,3. Foi campeã da Ásia. Média de idade: 25 anos; média de estatura: 1,79m.

Antonio Carlos Barbosa, técnico que dirigiu o Brasil em cinco mundiais deu a seguinte opinião sobre o Campeonato:

“O basquetebol feminino continua apresentando os EUA como grande favorito e a França e Austrália, embora sem suas duas prinicipais jogadoras, Liz Cambage e Laureen Jackson são as duas equipes que se credenciam como grandes forças. Então temos um segundo grupo, muito equilibrado, onde não se pode apontar favoritos: Turquia, Espanha, Japão, Sérvia, Brasil, Bielorrússia, China e Canadá. Embora o Brasil entre na disputa sem muito crédito com os amantes da modalidade, eu avalio como uma equipe altamente competitiva e com um garrafão muito forte. Sua chave é muito difícil e o cruzamente também. Tudo pode acontecer”.

Desejamos boa sorte ao Brasil e que possamos realizar um bom Mundial e, se possível, trazer mais uma medalha ao nosso basquetebol.

 

Anúncios