Entrevistas · Mundial Masculino

Copa do Mundo de Basquetebol: novidades 2

Amigos do Basquetebol

Neste segundo post sobre as novidades da Copa do Mundo de Basquetebol Masculino, o presidente da FIBA, Horácio Muratoria, em entrevista a mim concedida durante o Congresso Internacional de Mini-basquetebol realizado em Córdoba, fala das mudanças no sistema de classificação para a Copa do Mundo de Basquetebol que será realizada em 2019.

Muratori explicou que o Pré Mundial realizado na Venezuela, em 2013, foi o último, naquele formato, para classificar os países para a Copa do Mundo.

Para 2019 o sistema mudará completamente, a partir do número de países participantes que aumentará de 24 para 36. Além disto Ásia e Oceania formarão uma única zona o que reduzirá para quatro as zonas classificatórias.

Muratori falou como será a classificação para a Zona Americana (que deverá ser igual para África e Ásia+Oceania). Para a Europa, devido ao grande número de países, o sistema ainda está sendo estudado.

As Américas terão sete vagas na Copa do Mundo (ao invés das 4 que tivemos em 2014).

As equipes serão divididas em 4 sub-grupos (A, B, C, D) de 4 equipes cada. Essas quatro equipes jogarão entre si em partidas de ida e volta, nas chamadas “janelas esportivas”. Essas Janelas ocorrerão em novembro de 2017, fevereiro e junho de 2018.

No final desta Janela serão formados dois grupos com os três primeiros de cada zona: GE (GA +GB) e GF (GC + GD). As equipes classificadas do GA jogarão contra as equipes classificadas do GB levando os resultados da fase anterior. Serão também jogos de ida e volta, que serão realizados em setembo e novembro de 2018 e fevereiro de 2019. O mesmo acontecerá entre os classificados do GC e GD.

As três melhores equipes de cada grupo (E e F) e o melhor quarto colocado estarão automaticamente classificadas para a Copa do Mundo de 2019.

Em relação aos Jogos Olímpicos, Muratori afirmou que para 2016 o sistema de classificação será o mesmo, através de pré-olímpicos continentais, mantendo-se o número de 12 equipes. A FIBA está tentando aumentar para 16 equipes em 2020.

Para os Jogos Olímpicos de 2020 também haverá uma mudança importante na classificação das equipes. Somente o país sede terá vaga garantida. Caso se mantenha o número de 12 equipes, 7 vagas serão distribuídas a partir da classificação na Copa do Mundo: 2 para os dois melhores classificados da América, 2 para os dois melhores classificados da Europa e 1 para o melhor classificado da África, Ásia e Oceania.

As 4 vagas restantes serão distribuídas a partir de um torneio que reunirá 24 equipes, divididas em quatro grupos que serão indicadas também a partir da classificação na Copa do Mundo.

Assim sendo, a Copa do Mundo terá um papel muito importante para determinar a classificação para os Jogos Olímpicos.

Agradeço ao Presidente da FIBA, Horácio Muratori pela gentileza e atenção ao conceder essa entrevista, esclarecendo pontos importantes para o futuro do basquetebol mundial.

Anúncios