Basquetebol Europeu · Estatísticas

Euroliga: Top 16

Amigos do Basquetebol

O ano de 2014 vai terminar mas o basquetebol ainda nos oferece algumas atrações. Dia 30 de dezembro vai começar o Top 16 da Euroliga. O torneio se estenderá até 10 de abril quando apenas 8 equipes continuarão disputando o melhor torneio inter clubes do mundo.

Para chegar ao Top 16, 24 equipes disputaram a primeira fase da Euroliga em quatro grupos, classificando-se os quatro primeiros de cada grupo.

Pelo grupo A, classificaram-se: Real Madrid (8-2); Anadolu Efes (6-4); Zalguiris (5-5); Novgorod (5-5).

Pelo B: CSKA (10-0); Maccabi (7-3); Unicaja (4-6); Alba Berlin (4-6)

Pelo C: Barcelona (9-1); Fenerbahçe (8-2); Panathinaikos (5-5); Milan (5-5)

Pelo D: Olympiakos (8-2); Crvena (6-4); Laboral (5-5); Galatasaray (4-6)

Pelos critérios de classificação os dois grupos para o Top 16 ficaram assim consituídos:

E: Real Madrid, Maccabi, Panathinaikos, Galatasaray, Barcelona, Crvena, Zalguiris e Alba Berlin

F: CSKA, Fenerbahçe, Novgorod, Olympiakos, Laboral, Anadolu, Unicaja e Milan

Cada grupo classificará quatro equipes que cruzarão no sistema olímpico (1Ex4F; 2Ex3F; 3Ex2F; 4Ex1F) em jogos de melhor de cinco. Como se nota o grupo E será eletrizante pois reúne 23 títulos da Euroliga: Real Madrid (8), Maccabi e Panathinaikos (6), Barcelona (2) e Zalguiris (1), enquanto que no grupo F, CSKA (6), Olympiakos (3 e Milan (1) já venceram a competição.

Números dos classificados

Seguem alguns números das três melhores equipes classificadas para o Top 16 e a média do campeonato

Eficiência: CSKA – 110,7; Real Madrid – 105,4; Barcelona – 102,5; 84,4

Pontos: CSKA – 88,0; Real Madrid – 87,3; Barcelona – 86,1; 78,0 

% 2pts: CSKA – 58,6; Fenerbahçe – 56,6; Alba Berlin – 55,4; 51,1

% 3pts: CSKA – 42,5; Barcelona – 40,4; Novgorod – 38,7; 35,3

% L.livres: Barcelona – 82,7; CSKA – 80,3; Panathinaikos – 77,8; 73,2

Rebotes: Crvena – 42,5; Unicaja – 39,3; Zalguiris – 38,7; 35,5

Assists: CSKA – 24,0; Real Madrid – 22,0; Barcelona – 19,4; 17,1

B.Recuperadas: Real Madrid – 7,9; Fenerbahçe – 7,5; Olympiakos – 7,2; 6,6

B.Perdidas: MIlan – 10,0; Real Madrid – 10,5; Fenerbahçe – 11,2; 12,9

Destaques individuais da 1a. fase:

Eficiência: Marjanovic (Crvena) – 24,9

Cestinha: Rochestie (Novgorod) – 20,0

Rebotes: Marjanovic (Crvena) – 10,7

Assists: Williams (Crvena) – 6,9

O Brasileiro Huertas participou dos 10 jogos, atuando em média 26 minutos e conquistando 10,0 pts; 3,4 rebotes; 4,8 assists e 12,0 eficiência.

 

Anúncios
História do Basquetebol · Opinião do autor · Todos os posts

2014: ano feliz para nosso basquetebol

Amigos do Basquetebol

2014 foi um ano muito importante para nosso basquetebol. Boas participações e grandes conquistas.

No NBB o Flamengo consolidou-se como uma das maiores forças, conquistando novamente o título de campeão. O Paulistano surpreendeu chegando a uma final inédita contra os rubro-negros e dando um baita calor no time do Neto. Lembrando que a dupla de técnicos desta final (Neto e Gustavinho) tiveram grandes momentos no próprio Paulistano atuando como técnico e Assistente técnico (respectivamente).

Na Liga ouro tivemos o ressurgimento de uma tradicional equipe do basquetebol brasileiro: Rio Claro que tornou-se campeão enfrentando Lins uma força emergente do basquetebol paulista e que agora faz parte do grupo de elite que disputa o NBB.

A LDB consolidou-se como o mais importante campeonato de base do país, aumentando de 20 para 24 equipes a disputa deste ano que ainda está em andamento. Nela revelam-se grandes nomes do futuro do nosso basquetebol e que devem ser olhados com muito carinho.

Americana sagrou-se campeão da LBF após acirrada disputa com as pernambucanas do Sport, mostrando que o investimento a longo prazo traz resultados importantes.

Em São Paulo, Bauru e Americana sagraram-se campeões, mostrando a força do basquetebol do interior paulista.

No plano internacional a equipe masculina do Brasil obteve um honroso sexto lugar na Copa do Mundo disputada na Espanha, com a certeza de que poderia ter chegado mais longe e mostrando que o trabalho realizado é o correto. Atualmente, o Brasil é o 9o. no ranking da FIBA.

Também obtivemos o 3o. lugar no Sul-Americano o que nos garantiu a vaga para o Pan de 2015.

Já no feminino ficamos com um decepcionante 11o. lugar, mostrando que temos que olhar com carinho para essas meninas que lutam com muita garra apesar da inúmeras dificuldades que o basquetebol feminino encontra em nosso país. O Brasil termina o ano na sétima posição no ranking da FIBA.

Esta mesma seleão feminina venceu pela 15a. vez consecutiva o Sul-Americano consolidando sua posição de líder absoluta do basquetebol do continente.

Nas categorias de base os destaques ficam para a conquista do Sul-Americano sub-15 masculino e feminino garantindo a participação na Copa América da faixa etária. A seleção feminina sub-18 obteve a vaga para o Mundial sub-19 em 2015.

Em 2014 comemoramos os 50 anos da conquista da medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio com uma equipe de muita qualidade comandada pelo técnico Kanela. Nossos heróis olímpicos: Amaury, Wlamir, Bira, Mosquito, Fritz, Rosa Branca, Jatyr, Edson Bispo, Sucar, Victor, Sérgio Macarrão e Edvar.

Comemoramos também os 20 anos da brilhante conquista do título de Campão Mundial Feminino no torneio realizado na Austrália. Fizeram parte do grupo campeão: Miguel Ângelo da Luz (técnico), Sérgio Maroneze (assistente), Hermes Balbino (preparador físico) e o inesquecível Waldyr Pagan (supervisor). As atletas: Hortência, Helen, Adriana Santos, Leila, Paula, Janeth, Roseli, Simone, Ruth, Alessandra, Cintia Tuiú e Dalila.

No plano dos clubes, o Flamengo venceu a Liga das Américas e o Intercontinental disputado no Rio de Janeiro contra o Maccabi de Israel e Bauru concolidou sua condição de uma das melhores equipes do pais  e do continente vencendo a Liga Sulamericana contra outra equipe brasileira que melhora a cada dia: Mogi das Cruzes.

Com esses resultados podemos considerar que 2014 foi bastante proveitoso para nosso basquetebol. No entanto, sabemos que podemos muito mais. Um trabalho com o olhar voltado para nossos jovens deve ser executado visando as competições dos próximos anos.

Espero que todos nós tenhamos sabedoria suficiente para alavancar o basquetebol e colocá-lo definitivamente na vida e no gosto dos brasileiros. Que possamos ver ginásio lotados. Que tenhamos torneios com equipes importantes e que o Pan de 2015 possa ser o pontapé inicial de uma nova geração que está clamando por oportunidades.

Feliz Natal a todos e um 2015 repleto de basquetebol.

4_5607

 

 

Entrevistas · NBB

A voz da LNB

Amigos do Basquetebol

Já é fato comprovado que a Liga Nacional de Basquete mexeu com as estruturas do nosso esporte promovendo campeonatos cada vez mais disputados, dando a esses eventos o caráter profissional que eles merecem e desenvolvendo ações no sentido de incrementar a prática do basquetebol no país como é o caso da Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB).

Para que tudo isto aconteça a LNB conta com uma equipe de profissionais que atuam em diferentes setores (administrativo, financeiro, técnico e comunicação), além do Conselho de Administração e Diretores.

E um dos setores que mais é exigido é o Setor de Comunicação que possui inúmeras incumbências para deixar as pessoas cada vez mais bem informadas.

Conversei com o responsável pelo Setor de Comunicação da LNB, Guilherme Buso, que esclareceu como funciona esta complicada engrenagem.

Segundo Guilherme Buso o principal objetivo da Comunicação da LNB é fornecer ao aficionado do basquetebol e ao público em geral a melhor informação sobre os eventos e com a maior velocidade possível, considerando que o basquetebol, assim como outros esportes à exceção do futebol, tem um espaço muito pequeno na mídia.

São sete pessoas envolvidas nesse processo que inclui informação, redes sociais, transmissões pela web, contato com veículos de imprensa no Brasil e no Mundo, divulgação dos campeonatos, “media day”, contatos com assessórias de imprensa dos clubes e com os meios que divulgam os campeonatos como o Sportv.

Para que isto seja possível, o trabalho vai além de ser somente uma assessoria de imprensa. Buscou-se então, a configuração de um portal que pudesse levar ao aficionado o maior número possível de informações que acontecem durante os jogos com base nas estatísticas online e que, no máximo, 15 minutos após o término das partidas apresenta os dados dos jogadores, equipes, fotos e melhores jogadas.

Todas as informações dos atletas e das equipes na temporada e em temporadas passadas podem ser acessadas no site da LNB e também através do “media guide” que é produzido todos os anos com os dados atualizados.

As equipes também recebem um tratamento especial com o “media day” que é uma sessão de fotos que é realizada com todas as equipes do NBB e da Liga Ouro no início da temporada. Essas imagens são utilizadas na divulgação dos respectivos campeonatos.

Nas redes sociais a LNB mantém o facebook (facebook.com/nbb.oficial), twiter (@NBB_Oficial) e instagram (instagram.com/nbb.oficial). A comunicação com outros órgãos de imprensa é feita através de releases e que hoje fornece informações a 1600 profissionais vinculados a cerca de 600 veículos de informação no Brasil e no exterior.

O Território LNB (www.lnb.com/território) é outro veículo importante na divulgação de assuntos relacionados com o basquetebol de forma geral.

Neste ano a grande novidade são as transmissões pela web. Está prevista a transmissão de 40 jogos, além das partidas transmitidas pela Sportv (mínimo de 60 jogos).

Como se percebe pelas informações do responsável pela Comunicação da LNB, Guilherme Buso, a Liga desenvolve um trabalho incansável para levar ao aficionado do basquetebol e ao público em geral, o que há de melhor em termos de informações sobre nosso basquetebol, contribuindo de forma decisiva para o desenvolvimento e divulgação do nosso esporte.

Equipe de Comunicação da LNB: Bernardo Guimarães (sentado), Luiz Pires (fotógrafo), Douglas Carrareto, Roberta Ferreiera, GuilhermeBuso, Marcel Pedroza e Juan Rodrigues
Equipe de Comunicação da LNB: Bernardo Guimarães (sentado), Luiz Pires (fotógrafo), Douglas Carrareto, Roberta Ferreiera, GuilhermeBuso, Marcel Pedroza e Juan Rodrigues