Colaboradores · Formação Esportiva

CATEGORIAS DE BASE…O FUTURO COMEÇA AQUI…SERÁ?

Amigos do Basquetebol

Neste post trago a colaboração do Prof. Tácito Pinto Filho, um dos mais conceituados técnicos de basquetebol do Brasil, com 37 anos de experiência, muitos dos quais destinados ao trabalho de formação.

“Companheiros/as do Basquetebol (Treinadores/as, Pais, Dirigentes) minha intenção é colocar minhas opiniões sem pretender ser o dono da verdade.

Final de mais uma temporada e acompanhei muitos jogos das categorias sub 12, sub 13 e sub 14 e cheguei a triste conclusão que o maior problema em nosso trabalho de formação tão importante somos nós Treinadores, que na maioria das vezes temos um discurso e uma outra atitude.

Acreditamos que a defesa individual é a melhor para a formação dos/as atletas mas utilizamos defesa por zona, pressão por zona, box-one, triângulo-dois, etc.

Dizemos que não devemos ter “jogadas”, utilizar o sistema de jogo livre e temos a “1”, a “chifre”, etc, utilizando corta-luz direto e indireto desde o sub 12.

Que devemos evitar a especialização precoce mas a equipe tem o armador, os laterais e os pivôs com posicionamentos e funções bem definidas e limitadas, com o objetivo de vencer e não o de formação.

Quando comecei minha carreira de Treinador trabalhei da mesma maneira e hoje acredito que limitei muito meus jogadores que não chegaram tão longe quanto poderiam pois tive grupos de jogadores talentosos. Se pudesse voltar no tempo faria tudo diferente em relação ao trabalho com o Basquetebol. Se falhei neste sentido tenho a consciência tranquila de que quanto a formação de homens contribui e muito.

Trabalhando desta forma estamos pulando fases no trabalho de formação e desenvolvimento do Basquetebol. Seria como ensinar uma frase antes de ensinar as letras, as sílabas, as palavras ou ensinar a correr antes do gatinhar e andar.

Os/as atletas executam as tarefas de modo imperfeito e sem saber: O que fazer? Como fazer? Por que fazer? Quando fazer? Nenhuma leitura do jogo na defesa e no ataque.

E a justificativa que escuto muitas vezes, e não aceito, é: “Preciso vencer para manter meu emprego!”. Não aceito porque nestes 37 anos, ininterruptos completados em julho último, como Treinador de Basquetebol conto nos dedos de uma mão os Treinadores de categorias de base que perderam seus empregos por que não foram campeões.

Enfim acredito que precisamos rever com urgência nossas posições para que possamos fazer um Basquetebol de melhor qualidade respeitando fases de desenvolvimento tanto físicas quanto cognitivas.”

“BASQUETEBOL É UM SHOW”

Anúncios

Um comentário em “CATEGORIAS DE BASE…O FUTURO COMEÇA AQUI…SERÁ?

  1. Concordo plenamente, pois nessa fase temos que nos preocupar mais com o desenvolvimento motor e cognitivo do aluno. Trabalho muito os fundamentos básicos do basquetebol utilizando exercícios e jogos pré desportivos. Comecei neste ano um trabalho com uma equipe sub 10 no colégio em que trabalho. Notei que todos os alunos tiveram uma grande evolução no aspecto motor e consequentemente no entendimento do jogo.

Os comentários estão fechados.