Estatísticas · Jogos Olímpicos · Todos os posts

Jogos Olímpicos – estatísticas gerais (4): o aproveitamento do Brasil no Feminino

Amigos do Basquetebol

Agora vamos mostrar o aproveitamento do Basquetebol Feminino Brasileiro nos Jogos Olímpicos.

Nossa equipe feminina disputou 5 partidas com cinco derrotas: Austrália (66-84); França (64-74); Turquia (76-79); Japão (66-82) e Belarrússia (63-65).

Essa campanha muito ruim do Brasil é refletida nos números do aproveitamento brasileiro. Nossa média de pontos foi de 67,0 por partida sendo a 10a. do torneio ficando somente à frente da Turquia (64,3) e Senegal (61,8). A média de pontos sofridos foi a 8a. do torneio com 76,8 pontos por partida.

A equipe brasileira teve um aproveitamento geral de 42,4% considerando-se a relação entre a média de pontos convertidos (67,0) e a média de pontos possíveis (157,8) por partida.

O aproveitamento e distribuição dos pontos da equipe brasileira ocorreu da seguinte forma:

2 pontos

Nosso aproveitamento foi de 45% (43,6 x 96,4). O Brasil converteu 218 pontos dos arremessos de 2. Este número representa 65% dos pontos totais da equipe (335), enquanto que no torneio todo o percentual de pontos através de arremessos de 2 foi de 59% (3300-5604). Este aproveitamento de 45% colocou o Brasil na 5a. posição entre as 12 equipes que disputaram os Jogos Olímpicos.

3 pontos

Nos pontos obtidos através dos arremessos de 3 pontos nosso aproveitamento foi de 25% (10,8/43,8). O aproveitamento geral do campeonato foi  de 36%. Os arremessos de 3 pontos nos proporcionaram 54 pontos (16,1% do total de pontos da equipe). A média de pontos a partir dos arremessos de 3 no campeonato todo foi de 17,5 (23,7% da média total de pontos do campeonato que foi de  73,7 pts por equipe). No aproveitamento dos arremessos de 3 o Brasil teve o pior resultado entre os 12 participantes.

Lances Livres

No campeonato todo a média de pontos obtidos através de lances-livres foi de 13,4 (17,5% da média total de pontos por equipe – 73,7). No geral o aproveitamento de lances livres foi de 75% (13,4×16,9). O Brasil ficou muito perto deste percentual com 72% de aproveitamento nos Lances-Livres – 72% (12,6×17,6). Na relação entre média de pontos de lances-livre e média de pontos totais o Brasil obteve um percentual de 18,8%.

Esses números dão a dimensão da baixa produtividade brasileira nos Jogos Olímpicos, principalmente nos arremessos de 3 pontos que sempre tiveram uma grande influência na efetividade do nosso ataque.

Anúncios