Todos os posts

CRA/RJ apresenta sugestões para a melhoria do basquetebol no estado

Amigos do Basquetebol

Em evento realizado em junho no Rio de Janeiro e promovido pelo Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro, pessoas ligadas ao basquetebol se reuniram para apresentar e discutir ações que pudessem ajudar no desenvolvimento do basquetebol daquele estado.

Estive presente a convite do amigo Alexey Carvalho e pude compartilhar ideias com administradores, técnicos e dirigentes.

O CRA/RJ, a partir deste encontro, elaborou uma carta contendo sugestões para o basquetebol carioca. Com a autorização do Alexey trago a todos esta carta que, apesar de conter aspectos direcionados à realidade carioca pode servir de referência para outras instituições e, também, porque não, ao basquetebol brasileiro que vive uma crise de gestão.

A carta foi assinada pelo Administrador e Presidente do CRA/RJ – Wagner Siqueira.

  • Que seja formada uma Comissão de notáveis (treinadores, preparadores físicos, árbitros, jornalistas desportivos, dirigentes desportivos e outros) com o objetivo de disseminar e, se for o caso, contribuir na prática com a implementação das sugestões aqui contidas;
  • Que seja feito um levantamento de todos os locais onde seja desenvolvida a iniciação do basquetebol;
  • Que esses locais, após serem reconhecidos, recebam o apoio material e técnico, advindos da FBERJ, Empresas, Associações e outros;
  • Que esses locais sejam cadastrados e acompanhados no sentido de cada vez mais se firmarem como centros formadores;
  • Que se entenda a prática do Minibasquete como fator imperativo para a descoberta de talentos e de desenvolvimento do Basquetebol;
  • Que a FBERJ, mediante o seu departamento de Marketing, consiga a verba necessária para a efetivação dos torneios de Minibasquete sem que haja a cobrança de taxas de participação;
  • Que os torneios de Minibasquetebol possam ter a participação de clubes, escolas, associações e outros;
  • Que a FBERJ estimule seus filiados a participarem das reuniões ordinárias e extraordinárias mediante a presença de seus respectivos dirigentes;
  • Que a Comissão citada anteriormente realize, em parceria com a FBERJ, encontros para capacitação e aperfeiçoamento de árbitros;
  • Que esta mesma Comissão realize, em parceria com a FBERJ, encontros para promover debates técnicos entre os treinadores da base;
  • Que a transparência na gestão da FBERJ seja uma das medidas prioritárias por parte de seus dirigentes, de tal forma que o basquete do estado do Rio de Janeiro se torne atraente aos olhos de possíveis investidores;
  • Que a FBERJ desenvolva ações promocionais que aumente o interesse pelo Basquetebol angariando, assim, mais adeptos;
  • Que a FBERJ busque parcerias com empresas de marketing que tenham interesse em desenvolver o seu trabalho no sentido de captar recursos e patrocínios;
  • Que a FBERJ busque contatos com a grande mídia que garanta parcerias para aumentar a visibilidade do basquetebol e da própria federação;
  • Que a FBERJ, desde que seja informada, evite marcar jogos em datas em que ocorram Seminários, Congressos ou similares facilitando, dessa forma, a presença dos profissionais do basquetebol nos respectivos encontros;
  • Que a FBERJ estimule seu quadro de árbitros não só com as devidas garantias administrativas e técnicas, mas, também, com uma remuneração digna e adequada;
  • Que a FBERJ se mantenha rigorosa e intransigente na fiscalização de quadras e ginásios dos clubes filiados.

Certamente, as sugestões contidas neste documento não garantem o imediatismo de uma gestão eficaz por parte da FBERJ e dos Clubes e muito menos o desenvolvimento instantâneo do Basquetebol. Entretanto, este documento, sendo considerado o gatilho propulsor de uma nova fase, provavelmente contribuirá para que, com o auxílio de novas propostas, o Basquetebol do estado do Rio de Janeiro alcance um nível de excelência no âmbito nacional.

Agradeço ao Alexey e ao CRA/RJ pela confiança e disponibilidade da carta

Anúncios