NBB · Opinião do autor · Todos os posts

A força da LDB

Amigos do Basquetebol

Depois de umas férias merecidas (afinal ser aposentado não é fácil) volto mais uma vez para o Viva o Basquetebol em um momento muito especial do nosso basquetebol.

Estamos vivendo as finais do NBB, nosso mais importante campeonato e constatando uma mudança muito interessante no retrato desse campeonato que trouxe para as semifinais equipes que apostaram nos jovens talentos.

Evidentemente que aqui não se trata de menosprezar as equipes que investem altos em atletas consagrados como é o caso do Flamengo e de Bauru que optam por esse tipo de modelo de montagem de equipe. Mas sim de enaltecer o aproveitamento dos jovens talentos que surgem no nosso basquetebol, mas que, nem sempre, têm o devido reconhecimento e espaço nas equipes.

O que vimos e estamos vendo nessa trajetória final do NBB é o predomínio de equipes que não tiveram medo de dar oportunidade a jovens que surgiram, em sua maioria , do maior projeto de base já surgido neste país desenvolvido pela Liga Nacional de Basquete, promotora do NBB. Refiro-me à LDB (Liga de Desenvolvimento de Basquete).

Participei como coordenador de praticamente todas as edições deste evento e pude ver “in loco” o aparecimento de promessas que hoje se mostram totalmente preparadas para assumir o protagonismo do do nosso basquetebol.

Ver atletas que iniciavam sua trajetória na LDB e que hoje defendem de forma brilhante suas equipes é um prazer muito grande. É simplesmente o coroamento de um trabalho incessante que envolveu e envolve muita gente (dirigentes, técnicos, comissões técnicas e árbitros) e que deve ser elogiado de forma muito eloquente.

Não posso aqui cometer injustiças e citar nomes, correndo o risco de esquecer muita gente que passou por esse processo de formação (já que cabeça de aposentado também tira férias).

Mas como uma homenagem a todos esses garotos que hoje são as estrelas do NBB destaco que na final  (Paulistano  x Bauru) temos cerca de 15 jovens oriundos da LDB que dão colorido especial ao espetáculo, muitos deles assumindo a posição de titularidade de suas equipes.

Desta forma só me resta agradecer a Liga pelo projeto LDB e torcer para que ele continue. Tenho a certeza que o basquetebol brasileiro terá muito a lucrar com essa iniciativa.

Anúncios
Basquetebol Europeu · Todos os posts

Euroliga: vem aí o “final four”

Amigos do Basquetebol

Está chegando a hora de conhecermos o melhor time da Europa. De 19 a 21 de maio, Istambul vai receber o Final Four da Euroliga, o melhor campeonato de clubes do mundo.

Dezesseis equipes iniciaram o caminho para o F4 e agora CSKA, Real Madrid, Olympiakos e Fenerbahçe lutarão por esse importante título.

O CSKA é a equipe que mais participou dos F4 desde que foram criados em 2002. Já contando com esta de 2017 foram 14 participações (estando presente nas últimas seis) . Olympiakos 6, Real Madrid 5 e Fenerbahçe nas últimas 3.

As campanhas – para chegar ao F4 estas foram as campanhas:

Real Madrid – (1): 22-8; 3 x 1 Darussafaka

CSKA – (2): 23-7; 3×0 Baskonia

Olympiakos – (3): 19-11; 3×2 Efes

Fenerbahçe – (5): 18-12; 3×0 Panathinaikos

Esta edição do F4 reedita a de 2015 quando as quatro equipes estiveram em Madrid. Naquela ocasião as semifinais foram entre Real Madrid 96 x 87 Fenerbahçe e Olympiakos 70 x 68 CSKA. Na disputa de terceiro lugar o CSKA derrtou o Fenerbahçe (86 x 80) e o Real Madrid sagrou-se campeão batendo o Olympiakos por 78 x 59.

Essas equipes se encontraram em outras edições do F$:

2012 – Final: Olympiakos 62 x 61 CSKA

2013 – Semifinal: Olympiakos 69 x 52 CSKA e Final: Olympiakos 100 x 88 Real Madrid

2016 – Final: CSKA 101 x 96 Fenerbahçe

Os títulos

CSKA foi campeão em 2006, 2008 e 2016. Olympiakos em 2012 e 2013 e Real Madrid em 2015.

O fator casa

Jogar o F4 em casa não é garantia de vantagem. Nas 17 edições do F$ (já com esta) em sete oportunidades não houve equipe local. E somente em duas oportunidades o mandante foi campeão: Barcelona em 2008 e Real Madrid em 2015.

Os técnicos

Dos quatro técnicos envolvidos no F4 de 2017, Zelko Obradovich (Fenerbahçe) é o mais vitorioso. Este grande técnico, ainda na fase pré F4, foi campeão em 1992 pelo Partizan Belgrado, 1994 pelo Joventut Badalona e 2000 pelo Panathinaikos. Na era F4 ele conquistou títulos com o Panathinaikos em 2002, 2007, 2009 e 2001. Além disto foi eleito “Coach of the year” em 2007 e 2011 e considerado o melhor técnico europeu em 1994 e 1995.

Pablo Laso do Real Madrid, foi campeão da Euroliga em 2015 e eleito o melhor técnico da temporada.

Dimitris Itoudis do CSKA, assumiu a equipe em 2014 e foi campeão da Euroliga em 2016, sendo considerado o melhor técnico daquela temporada.

Ioannis Staropoulos do Olympiakos é técnico da equipe desde 2014 e ainda busca seu primeiro título.

Os comandantes

Cada uma dessas equipes é composta de excelentes atletas que seria impossível destacar todos eles. Então optei por destacar os armadores de cada equipe.

Vasilys Spanoulis (Olympiakos) – 12,4 pts; 6,0 assists; 11,8 efi

Spanoulis

Sérgio Llull (Real Madrid) – 16,8 pts; 5,9 assists; 16,8 efi

Llull

Bogdan Bogdanovic (Fenerbahçe) – 14,5 pts; 3,9 assists, 17,4 efi

Bogdanovic

Milos Teodosic (CSKA) – 16,2 pts; 7,0 assists, 17,4 efi

Teodosic

 

Para quem gosta de basquete é um prato cheio

http://www.euroleague.net