Opinião do autor · Todos os posts

A escolha do novo técnico

Amigos do Basquetebol

Recentemente a CBB anunciou o novo técnico da seleção adulta masculina.

E toda a vez que se faz uma escolha há discussão, polêmica, contradições, etc..

Cesar Guidetti foi o escolhido juntamente com o Bruno Savignani de Brasília. O trabalho realizado pelo “Cesinha”, como é conhecido, nesta última temporada no Pinheiros e seu histórico de trabalho em categorias de base, com certeza, o credenciam para o cargo. O mesmo pode-se falar do trabalho do Bruno.

No entanto, muitos como eu esperávamos que houvesse continuidade do trabalho iniciado há 8 anos sob o comando do Magnano, que teve durante todo esse tempo como assistente técnico o Neto e posteriormente Demétrios e Gustavinho.

Neto seria, sem dúvida, a escolha natural pelo seu trabalho no NBB (sendo o técnico mais vitorioso do NBB) e por toda a experiência internacional acumulada  com participação em dois Mundiais, dois Jogos Olímpicos, Copa América além dos títulos da Liga das Américas e Copa Inter Continental pelo Flamengo.

É claro que, as escolhas têm seus critérios técnicos, meritocráticos e políticos. E é uma atribuição do presidente da CBB. Aqui não se trata de contestar essa escolha, pois como já disse foi merecida pelo trabalho que vem sendo realizado pelo Cesinha.

Mas o que soa estranho é o fato do técnico ter sido anunciado como “interino. O que isto significa?

Está sendo testado? Ainda não tem a total confiança da CBB? Está tapando buraco para que na hora das Competições mais importantes (como Mundial em 2019 e Jogos Olímpicos em 2020) outro assuma o lugar?

Enfim, nós do basquetebol, temos que apoiar e torcer para que nosso basquete retome seu rumo. Mas para que isto aconteça, temos que pensar a longo prazo e para isto o técnico tem que estar seguro na continuidade do trabalho.

Torço para que o Cesar e toda a Comissão Técnica, façam um bom trabalho, pois competência para isto têm de sobra e que seja apoiada por toda a comunidade “basqueteira” mas, principalmente pela cúpula da CBB. Que ela não seja “descartada” em função de algum mau resultado e que os “interinos” tornem-se efetivos para que realizem um trabalho planejado e a longo prazo.

Anúncios
Basquetebol Europeu · Estatísticas · Todos os posts

Armadores

Amigos do Basquetebol

Sendo um apaixonado pelo basquetebol europeu e, é claro, pelos armadores (devido ao meu passado como um grande armador que fui – pelo menos em meus sonhos) trago aqui alguns números dos principais armadores que brilharam nas quadras europeias na última edição da Euroliga, vencida de forma inédita pelo Fenerbahçe da Turquia.

Esses números podem servir de referência para nossos jovens armadores que também vêm despontando no cenário nacional.

Para resumir a análise escolhi os armadores das quatro equipes finalistas do torneio, levando em consideração o tempo jogado (mínimo de 20 minutos em média), já que a maioria das equipes da Euroliga tem em seu plantel até cinco armadores.

Assim sendo 12 atletas figurarão nesta breve análise baseada no número de jogos, tempo de jogo, eficiência, pontos e assists.

Fenerbahçe

Bogdanovic – 22 jogos; 28 minutos, 16,7 efi; 14,6 pts; 3,6 assists

Sloukas – 29 jogos; 26 minutos, 9,8 efi; 9,2 pts; 4,5 assists

Dixon – 34 jogos; 25 minutos; 10,7 efi; 11,4 pts; 3,6 assists

Real Madrid

Llull – 33 jogos; 27 minutos; 16,8 efi; 16,5 pts; 5,9 assists

Doncic – 35 jogos; 20 minutos; 13,3 efi; 7m8 pts; 4,2 assists

CSKA

De Colo – 28 jogos; 27 minutos; 20,8 efi; 19,1 pts; 3,9 assists

Teodosic – 29 jogos; 27 minutos; 17,1 efi; 16,1 pts; 6,8 assists

Jackson – 29 jogos; 21 minutos; 8,8 efi; 7,6 pts; 3,6 assists

Higgins – 32 jogos; 20 minutos; 9,3 efi; 9,5 pts; 1,5 assists

Olympiakos

Spanoulis – 33 jogos; 26 minutos; 11,9 efi; 12,6 pts; 6,1 assists

Mantzaris – 37 jogos; 23 minutos; 4,9 efi; 5,8 pts; 2,4 assists

Lojeski – 26 jogos; 21 minutos; 11,3 pts; 1,6 assists

Dentre os analisado, cinco merecem destaque por seus desempenhos (classificação geral entre todos os atletas que disputaram a Euroliga):

Teodosic – 1o. em assits; 5o em Efi e 6o. em pts

Llull – 3o. em assists; 5o. em pts e 7o. em assists

De Colo – 2o. em Efi e em pts

Bogdanovic – 7o. em pts e 9o. em efi

Spanoulis – 2o em asists