NBB · Opinião do autor · Todos os posts

A força da LDB

Amigos do Basquetebol

Depois de umas férias merecidas (afinal ser aposentado não é fácil) volto mais uma vez para o Viva o Basquetebol em um momento muito especial do nosso basquetebol.

Estamos vivendo as finais do NBB, nosso mais importante campeonato e constatando uma mudança muito interessante no retrato desse campeonato que trouxe para as semifinais equipes que apostaram nos jovens talentos.

Evidentemente que aqui não se trata de menosprezar as equipes que investem altos em atletas consagrados como é o caso do Flamengo e de Bauru que optam por esse tipo de modelo de montagem de equipe. Mas sim de enaltecer o aproveitamento dos jovens talentos que surgem no nosso basquetebol, mas que, nem sempre, têm o devido reconhecimento e espaço nas equipes.

O que vimos e estamos vendo nessa trajetória final do NBB é o predomínio de equipes que não tiveram medo de dar oportunidade a jovens que surgiram, em sua maioria , do maior projeto de base já surgido neste país desenvolvido pela Liga Nacional de Basquete, promotora do NBB. Refiro-me à LDB (Liga de Desenvolvimento de Basquete).

Participei como coordenador de praticamente todas as edições deste evento e pude ver “in loco” o aparecimento de promessas que hoje se mostram totalmente preparadas para assumir o protagonismo do do nosso basquetebol.

Ver atletas que iniciavam sua trajetória na LDB e que hoje defendem de forma brilhante suas equipes é um prazer muito grande. É simplesmente o coroamento de um trabalho incessante que envolveu e envolve muita gente (dirigentes, técnicos, comissões técnicas e árbitros) e que deve ser elogiado de forma muito eloquente.

Não posso aqui cometer injustiças e citar nomes, correndo o risco de esquecer muita gente que passou por esse processo de formação (já que cabeça de aposentado também tira férias).

Mas como uma homenagem a todos esses garotos que hoje são as estrelas do NBB destaco que na final  (Paulistano  x Bauru) temos cerca de 15 jovens oriundos da LDB que dão colorido especial ao espetáculo, muitos deles assumindo a posição de titularidade de suas equipes.

Desta forma só me resta agradecer a Liga pelo projeto LDB e torcer para que ele continue. Tenho a certeza que o basquetebol brasileiro terá muito a lucrar com essa iniciativa.

Anúncios
NBB

E começa o NBB

Amigos do Basquetebol

Hoje começa a nova edição (8a) do NBB.

Quinze equipes representando sete estados estarão presentes nesta competição que reúne os melhores jogadores de basquetebol do país.

Ceará – Basquete Cearense

DF – Brasília

S.Paulo – Bauru, Liga Sorocabana, Mogi das Cruzes, Paulistano, Pinheiros, Rio Claro, São José e Franca

Rio Grande do Sul – Caxias do Sul

Rio de Janeiro – Flamengo e Macaé

Minas Gerais – Minas T.C.

Bahia – Vitória

Ausências importantes como Uberlândia e Limeira.

Mas grande novidades: Vitória e Caxias (campeão da Copa Ouro).

Mudanças de Técnicos: Demétrios (no Bauru), Danilo Padovani (no Mogi), Cristiano Grama (no MInas), Regis Marrelli (Vitória) e Cris Ahmed (no São José).

Muitas mudanças de atletas. Entre elas:

Basquete Cearense – Toledo, Duda Machado, Leo e Rashaum

Bauru – Leo Mendle, Paulinho Boracini

Brasília  PIlar e Deryk

Caxias – Gustavinho

Flamengo – Rafa Luz, Rafael MIneiro e J.P. Batista

Franca – Cauê, Erik e Nezinho

Liga Sorocabana – Neto e Chupeta

Macaé – Mosso

Mogi – Larry Taylor e Lucas Mariano

Paulistano – Waltinho, Jason Smith, Caio Torres e Gruber

Pinheiros – MIneiro – Halloway, Scaglia e Andrezão

Rio Claro – Gui Deodato

São José – Pedro – Renato, Mateus Dalla e Cesar

A relação completa das equipes pode ser confirmada no site http://www.lnb.com.br

Tudo isto e muito mais para aqueles que gostam de basquetebol.

Logo na estreia um grande clássico, final da edição passada – Beuru x Flamengo.

É basquetebol para todos os gostos.

Imperdível

 

 

NBB

LDB 2015: vai começar o maior campeonato de base de Brasil

Amigos do Basquetebol

De 24 de julho a 2 de agosto, em Uberlândia, começa a LDB 2015, o maior campeonato de base do Brasil.

Vinte e quatro equipes competirão durante o segundo semestre em turno completo para que se classifiquem os oito melhores para chegarmos ao “final Four”.

Muitos atletas que disputaram a LDB agora são destaques nas suas equipes principais e alguns até com passagem pela NBA como é o caso de Bruno Caboclo e Cristiano Felicio.

A grande novidade deste ano é a participação da Seleção Sub 17 que será dirigida pelo Prof. André Germano, ação que visa dar maior experiência aos atletas convocados para a referida seleção.

Além da seleção teremos a estreia das equipes de Concórdia (SC), Internacional de Santos (SP),  Pequeninos (PB) e Campo Mourão (PR).

O Basquete Cearense volta tentando defender o título conquistado de forma invicta na LDB 2014.

Por estado são estas as equipes participantes, além da Seleção Sub-17:

São Paulo: Paulistano, Pinheiros, Palmeiras, Internacional, Rio Claro, Limeira, Franca, Bauru e São José

Rio de Janeiro: Botafogo, Flamengo e Macaé

Santa Catarina: Concórdia e Joinville

Paraná: Campo Mourão e Curitiba

Minas Gerais: Minas Tênis Clube e Unitri de Uberlândia

Ceará: Basquete Cearense

Paraíba: Pequeninos

Distrito Federal: UNICEUB

Pernambuco: Sport

Rio Grande do Sul: Grêmio Náutico União

As partidas serão realizadas no Praia Clube de Uberlândia em três quadras simultanemante a partir das 14h00.

A tabela completa está à disposição no site da LNB – http://www.lnb.com.br

Vale a pena conferir pois aí está o futuro do nosso basquetebol

Basquete Cearense: campeão invicto da LDB 2014/2015
Basquete Cearense: campeão invicto da LDB 2014/2015
NBB · Todos os posts

NBB na reta final

Amigos do Basquetebol

Estão definidas as semifinais do NBB.

Bauru x Mogi das Cruzes e LImeira x Flamengo começarão a decidir a partir do dia 9, em uma série de melhor de 5 (com vantagem das Equipes de Bauru e Limeira) os finalistas desta versão do NBB.

Para chegar às semis Bauru derrotou Franca por 3×2, Mogi das Cruzes derrotou Macaé e o Flamengo derrotu o S.José pelo mesmo placar enquanto LImeira fez 3×1 na equipe de Brasília.

Dessas equipes somente o Flamengo já foi finalista. Foram 4 finais com três títulos (2008/09, 2012/13 e 2013/14) e um vice (2009/2010)

Na temporada regular Bauru venceu Mogidas Cruzes nos dois turnos enquanto LImeira e Flamengo obrtiveram uma vitória cada.

Essas equipes entram nas semifinais com os seguintes números: (pts, %2; %3; %l.livres; rebotes; assists; B.Perdidas; B.Recuperadas e Eficiência)

Bauru: 88,5; 58,7; 39,4; 78,4; 34,3; 18,0; 13,1; 6,4; 101,7.

Cestinha: Rafael Hetsheimer – 17,1; Reboteiro: Rafael Hetsheimer – 6,2; Assists: Fischer – 6,1; Eficiência: Rafael Hetsheimer – 17,5

Mogi das Cruzes: 84,7; 52,0; 38,5; 75,8; 33,7; 15,0; 15,5; 7,7; 90,5

Cestinha: Shamel – 20,4; Reboteiro: Paulão – 5,9; Assists: Elinho – 3,5; Eficiência: Shamel – 15,8

Limeira: 84,7; 55,3; 40,5; 80,6; 27,8; 18,0; 13,5; 7,4; 93,8

Cestinha: Jackson – 16,7; Reboteiro: Fiorotto – 6,4; Assists: Nezinho – 5,2; Eficiência: Jackson – 18,5

Flamengo: 88,9; 56,1; 39,8; 75,5; 33,2; 17,8; 12,3; 6,6; 100,1

Cestinha: Marquinhos – 16,4; Reboteiro: Olivinha – 6,0; Assist: Laprovitola – 5,6; Eficiência: MArquinhos – 16,6

Calendário (datas dos 3 primeiros jogos):

9-05 (16h00) – Limeira x FLamengo

10-05 (13h00) – Bauru x Mogi das Cruzes

11-05 (19h00) – Limeira x FLamengo

12-05 (21h00) – Bauru x Mogi das Cruzes

14-05 (20h30) – Limeira x FLamengo

15-05 (19h30) – Bauru x Mogi das Cruzes

Todos os jogos terão transmissão direta da Sportv.

 

 

Estatísticas · NBB

NBB: quartas de finais

Amigos do Basquetebol

No dia 22 começam as quartas de finais do NBB.

Oito equipes começam a lutar pelas vagas nas semis em jogos que prometem muita emoção.

Flamengo x S.José; Bauru x Franca; Limeira x Brasília e Mogi x Macaé.

Comparação entre as equipes (pts; eficiência; %2; %3; %l.livres; rebotes, assists, bolas perdidas, bolas recuperadas)

Flamengo x S.José: 89,7 x 77,8; 100,9 x 85,1; 56,2 x 52,6; 40,8 x 34,0; 75,3 x 76,6; 33,6 x 32,1; 18,0 x 17,9; 13,1 x 17,9; 6,4 x 5,3

Cestinhas: Marquinhos 15,9 – Baxter 15,1

Reboteiros: Olivinha 6,1 – Caio Torres 9,2

Assists: Laprovitola 5,6 – Valtinho 5,1

Bauru x Franca: 90,8 x 75,9; 104,9 x 76,7; 59,6 x 51,4; 40,2 x 34,8; 78,8 x 70,8; 34,2 x 30,7; 18,5 x 13,6; 13,3 x 17,3; 6,7 x 7,5

Cestinhas: Hetsheimer 16,7 – Leo Mendl 16,0

Reboteiros: Jefferson 6,0 – Mata 6,5

Assists: Fischer 6,1 – Figueroa 5,0

Limeira x Brasília: 82,8 x 83,2; 92,6 x 90,8; 54,5 x 53,9; 40,3 x 37,5; 78,9 x 80,1; 27,8 x 31,7; 18,3 x 16,9; 13,0 x 15,0; 7,3 x 5,5

Cestinhas: Jackson 17,1 – Giovannonni 17,9

Reboteiros: Fiorotto 6,4 – Giovannonni 6,0

Assists: Nezinho 5,4 – Fúlvio 5,7

Mogi x Macaé: 84,9 x 79,8; 91,2 x 80,1; 51,7 x 50,5; 38,3 x 37,9; 76,5 x 80,9; 33,6 x 37,9; 15,5 x 13,3; 15,8 x 15,6; 7,7 x 5,6

Cestinhas: Shamell 20,2 – Jamaal 17,5

Reboteiros: Gerson 6,2 – George 5,7

Assists: Elinho 3,7 – Jamaal 3,5

 

 

Estatísticas · NBB

LDB: 4 anos de sucesso

Amigos do Basquetebol

Volto a falar do mais importante campeonato de base deste país. Refiro-me à LDB, sem medo de ser repetitivo.

A LDB que nasceu LDO (Liga de Desenvolvimento Olímpico) acontece desde 2012. São quatro anos de disputas que já proporcionaram muitas oportunidades a centenas de atletas em uma faixa etária que, normalmente, significaria o fim de carreira para muitos. Entre esses atletas muitos já despontam como protagonistas em suas equipes ou, no mínimo, integrando o plantel das mesmas nos campeonatos do NBB e e na Liga Ouro até mesmo com participações na NBA como foi recentemente o caso do jovem Bruno Caboclo do Esporte Clube PInheiros.

Entre os atletas que atuam de forma significativa em suas equipes e até mesmo na Seleção Brasileira posso citar alguns:

Leo Mendl, Antonio e Lucas Mariano (Franca), Ricardo Fischer, Wesley, Carioca e Gui Deodatto (Bauru), Bruno Yrigoyen, Henrique Coelho, Moisés e Demétrio (Minas),  Lucas Dias, Georginho e Bruno Caboclo (Pinheiros), Derick, Matheus e Higor e Du Sommer (Limeira), Ronald,  Scaglia e Bruno (UNICEUB Brasília), Gegê, Felício, Chupeta e Danielzinho (Flamengo), Davi, Erick, Victor, Rômulo, Sualisson e Paranhos (Basquete Cearense), Bié e Macedo (Mogi), Gemerson, Pecos e Arthur (Paulistano), Rafael (Unitri), Vitinho, Durval e Chandler (Sport – Liga Ouro).

Nesta lista ainda estão vários outros atletas que, com certeza, a memória deve ter me traído mas que são jovens valorosos e que continuarão brilhando em suas equipes.

Nesses quatro anos de disputas a LDB teve a participação de 37 equipes representando 13 estados brasileiros.

São Paulo é o estado com o maior número de equipes participantes (13): Paulistano, Franca, Pinheiros, Winner Limeira, Araraquara, Bauru Basket, São José, Liga Sorocabana, Palmeiras, Pinheiros, Taubaté, Suzano e Regatas Campineiros.

A seguir vem o Rio de Janeiro com 4 equipes: Flamengo, Botafogo, Tijuca e Macaé.

Com 3 equipes vêm Minas Gerais (Minas TC, Ginástico e Unitri/Uberlândia) e Paraná (Curitiba e Titãs).

Com duas equipes temos Santa Catarina (Blumenau e Joinville), Bahia (FAC2 e Vitória), Espírito Santo (Vila Velha e Vitória), Pernambuco (Sport e Náutico) e Goiás (Goiânia e Anápolis).

Os estados representados por uma equipe são os seguintes: DF (UNICEUB/BRB), Rio Grande do Sul (Grêmio Náutico União), Ceará (Basquete Cearense) e Maranhão (São Luiz).

Das 37 equipes que já participaram da LDB somente 9 estiveram nas quatro edições: Flamengo, Paulistano, Franca, PInheiros, Winner Limeira, Tijuca, Bauru Basket, MInas Tênis e UNICEUB/BRB.

De três ediçoes participaram: São José e Vitória (ES).

De duas edições: Joinville, Curitiba, Unitri, Vila Velha, Ginástico, Basquete Cearense, Liga Sorocabana, Sport Recife, Grêmio Náutico União e Náutico.

Araraquara, Londrina, Palmeiras, FAC 2, São Luiz, Suzano, Vitória (BA), Mogi das Cruzes, Macaé, Taubaté, Anápolis, Blumenau, Titãs, Regatas Campineiro, Botafogo e Goiânia participaram de somente uma das edições.

Quadro de honra

O Flamengo é o maior vencedor da competição com duas conquistas (2011 e 2013) além de um vice em 2014 e um 3o. lugar em 2012.

Bauru e Basquete Cearense conquistaram os títulos em 2012 e 2014, respectivamente. A equipe do interior paulista também foi vice em 2011.

Além dessas equipes também chegaram às finais: Paulistano (3o. em 2011), Pinheiros (3o. em 2013 e 4o. em 2014), São José (4o. em 2012), Minas TC (vice em 2013), UNICEUB/BRB (4o. em 2011 e 2014), Franca (vice em 2012) e Limeira (3o. em 2014).

Jogos, vitórias e derrotas

Nesses quatro anos de LDB foram realizados 717 jogos sendo 77 em 2011, 48 em 2012, 300 em 2013 e 292 em 2014.

Maior número de jogos: Flamengo – 84, Bauru – 82, UNICEUB/BRB – 79, Minas e Pinheiros – 74

Maior número de vitórias: Flamengo – 70, Bauru – 56, Basquete Cearense, Pinheiros e MInas – 53

Melhor aproveitamento: Basquete Cearense – 88,3%, Flamengo – 83,3%, Minas – 71,6%, Bauru – 68,3%, Franca – 66,7%

Veja a tabela completa das quatro edições da LDB

EQUIPE 2011 2012 2013 2014 TOTAL
V D T V D T V D T V D T V D T %
ANÁPOLIS 6 17 23 6 17 23 26,1
ARARAQUARA 0 3 3 0 3 3 0,0
BASQUETE CEARENSE 25 7 32 28 0 28 53 7 60 88,3
BAURU 12 3 15 8 1 9 19 13 32 17 9 26 56 26 82 68,3
BLUMENAU 4 19 23 4 19 23 17,4
BOTAFOGO 1 22 23 1 22 23 4,3
CURITIBA 14 14 28 15 8 23 29 22 51 56,9
FAC2 0 4 4 0 4 4 0,0
FLAMENGO 14 1 15 7 1 8 29 4 33 20 8 28 70 14 84 83,3
FRANCA 6 6 12 7 2 9 19 9 28 16 7 23 48 24 72 66,7
G.N.UNIÃO 4 24 28 5 18 23 9 42 51 17,6
GINÁSTICO 1 3 4 21 11 32 22 14 36 61,1
GOIÂNIA 10 18 28 10 18 28 35,7
JOINVILLE 4 3 7 4 19 23 8 22 30 26,7
LIGA SOROCABANA 0 7 7 2 2 4 2 9 11 18,2
LONDRINA 0 3 3 0 3 3 0,0
MACAÉ 9 14 23 9 14 23 39,1
MINAS TC 6 6 12 4 2 6 28 5 33 15 8 23 53 21 74 71,6
MOGI DAS CRUZES 15 8 23 15 8 23 65,2
NÁUTICO 1 28 29 10 13 23 11 41 52 21,2
PALMEIRAS 2 2 4 2 2 4 50,0
PAULISTANO 9 6 15 1 2 3 16 12 28 17 9 26 43 29 72 59,7
PINHEIROS 4 3 7 2 4 6 21 12 33 22 6 28 49 25 74 66,2
REGATAS CAMPINAS 1 22 23 1 22 23 4,3
S.JOSÉ 3 4 7 5 4 9 20 12 32 28 20 48 58,3
S.LUIS 0 4 4 0 4 4 0,0
SPORT RECIFE 17 11 28 18 8 26 35 19 54 64,8
SUZANO 3 3 6 3 3 6 50,0
TAUBATÉ 8 15 23 8 15 23 34,8
TIJUCA 1 6 7 1 3 4 12 16 28 7 16 23 21 41 62 33,9
TITÃS 4 19 23 4 19 23 17,4
UNICEUB/BRB 8 5 13 4 3 7 19 14 33 17 9 26 48 31 79 60,8
UNITRI 4 3 7 13 10 23 17 13 30 56,7
VILA VELHA 3 4 7 8 20 28 11 24 35 31,4
VITÓRIA (BA) 4 24 28 4 24 28 14,3
VITÓRIA (ES) 1 6 7 0 3 3 3 25 28 4 34 38 10,5
WINNER LIMEIRA 2 5 7 1 2 3 8 20 28 20 8 28 31 35 66 47,0

 

NBB · Opinião do autor

LDB: final four e muitos talentos surgindo

Amigos do Basquetebol

Estamos chegando ao final de mais uma edição da LDB (Liga de Desenvolvimento de Basquete). E mesmo sendo repetitivo insisto em dizer que esta é a principal competição de base do basquetebol brasileiro em todos os tempos.

A oportunidade que muitos desses atletas têm de demonstrar suas capacidades é incomum. Muitos atletas “esquecidos” em centros menos desenvolvidos podem ser vistos e admirados por suas qualidades.

Além do desenvolvimento em quadra, como um do coordenadores de sede, não tenho medo de afirmar que houve ao longo dessas quatro edições um desenvolvimento global desses meninos. E isto se reflete no comportamento fora das quadras, nos hoteis, nas refeições e no trato com as pessoas. É muito gratificante receber de todos um simples bom dia ou bater um papo informal fora dos aspectos competitivos.

Isto deve-se a muitos fatores mas, sem dúvida, o reconhecimento e a compreensão da importância desta competição por partes desses jovens e de seus técnicos é o maior fator de contribuição para essas mudanças.

Muitos deles já atuam em seus clubes. Muitos buscam um lugar ao sol. E eu insisto em uma tese de que poderia haver um “camping” para reunir muitos desses garotos com a presença de técnicos renomados que contribuiriam ainda mais para sua formação como atleta e como cidadão.

Outro ponto de destaque é o clima de cordialidade e amizade entre os técnicos, coisa rara em nosso meio.

Falando desta edição da LDB observamos diferentes situações que devem ser analisadas cuidadosamente.

Equipes “novatas” que ainda disputam a LDB procurando entender o propósito da competição e que sofrem pelo noviciado e pela fala de experiência. Equipes que mostram um desenvolvimento ao longo dos anos e que apresentam melhoras visíveis em seu jogo. E equipes consolidades que têm em seu plantel atletas que, apesar de jovens, já apresentam uma qualidade e xperiência de jogo muito grande.

E evidente que, no octogonal final, essas últimas são a totalidade. E isto é compreensível. Nesta fase o que vimos  foi a consolidação do Basquete Cearense como o único invicto da competição (26 vitórias), a força de equipes como Pinheiros, Flamengo e Winner Limeira (os quatro classificados), mas que não tiveram vida fácil para chegar ao Final Four e tiveram que jogar muito para superar equipes como o Paschoalotto Bauru, UNICUB/BRB/Brasília, Sport do Recife e Paulistano.

No Final Four teremos duas novidades: Basquete Cearense e Winer Limeira e duas equipes que já frequentaram essas finais: Flamengo e Pinheiros.

A briga vai ser boa: Basquete Cearense x Pinheiros e Flamengo x Winner Limeira. É pagar para ver.

Atletas como Davi Rosseto, Eric, Deryck, Cristiano Felício, Lucas Dias, Geroginho, Higor, Chupeta, Danielzinho, Matheus, Umberto e Sualisson (para mim a grande revelação deste campeonato) darão com certeza um grande espetáculo. Sem falar nos outros que não citei mas que contribuem demais para o sucesso de suas equipes.

Aí está o futuro do nosso basquetebol. Vamos olhar com carinho para esses jovens.

E pareabéns à LNB por esta incrível iniciativa.